Tião Viana trata em Brasília da BR-364, ramais e ações para a saúde

Governador e equipe participou de reunião com ministro dos Transportes, Antônio Rodrigues (Foto: Edsom Leite)
Governador participou de reunião com ministro dos Transportes, Antônio Rodrigues (Foto: Edsom Leite)

O governador Tião Viana reiniciou, nesta sexta-feira, 31, em Brasília, os contatos e audiências com ministros e outras autoridades do governo federal para dar sequência às ações que realiza em favor da população do Acre em parceria com a gestão da presidente Dilma Rousseff.

A primeira audiência ocorreu com o ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, com quem Tião Viana acompanhado pelo diretor-geral do Deracre, Ocírodo Júnior e pela representante do governo em Brasília, Gleycy Anne Lamoglia, trataram da conclusão da pavimentação da rodovia BR-364, entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul.

Tião Viana deu ciência ao ministro da situação da alagação do Rio Madeira, que se aproxima da margem da BR-364, entre Porto Velho e Rio Branco, deixando novamente o Acre isolado por terra do restante do país, como ocorreu no ano passado durante a enchente do principal rio rondoniense.

O governador disse ao ministro Rodrigues que, agora, tanto o governo federal, por meio do Dnit, quanto o governo do Estado estão preparados para minimizar o máximo possível os transtornos do abastecimento do estado, que no ano passado requereu esforços intensos devido ao ineditismo e a rapidez da cheia histórica do Rio Madeira.

Recursos para Saúde

Ainda acompanhado de Ocírodo Júnior e Gleycy Anne Lamoglia, o governador esteve também com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, com quem discutiu a execução do programa Ramais do Povo, que visa dar suporte ao aumento da produção agrícola do estado.

Desta vez, acompanhado da assessora especial Suely Melo, Tião Viana se encontrou também com a secretária-executiva do Ministério da Saúde, Ana Paula Meneses, para tratar de vários assuntos relacionados à saúde pública do estado.

Tião Viana e Suely Melo discutiram financiamentos de custeio para o futuro Hospital do Into, em Rio Branco e da liberação de recursos para a conclusão das obras do Pronto Socorro da capital e do Hospital de Brasileia e para a o custeio e compra de equipamentos da maternidade de Feijó, além da descentralização das ações de combate à malária em Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves. Também foi tratada a liberação de recursos para habilitar o processo da hemodiálise em Cruzeiro do Sul.