O governo do Acre, por meio da Saúde do Estado (Sesacre), está mantendo toda a assistência possível aos sobreviventes do acidente aéreo ocorrido nesta segunda-feira, 18, em Manoel Urbano. Dos seis sobreviventes, cinco foram transferidos ainda na noite de segunda para o Pronto-Socorro (PS) de Rio Branco, onde estão sendo assistidos por uma equipe médica especializada.

Conforme a direção do PS, os três pacientes considerados mais graves – Suani Camelo, 30 anos; Valdir Roney de Souza Mendes, 59 anos (piloto do avião); e Amélia Cristina Rocha, 28 anos – passaram por cirurgias de desbridamento, ou seja, remoção de tecido não viável, e estão na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Já os pacientes Bruno Fernando dos Santos, 36 anos, e Mateus Jeferson Fonte, de 26 anos, estão estáveis e continuarão sendo acompanhados na enfermaria da unidade. Outra sobrevivente, Delisiane Salomão Calisto, de 15 anos, cujo quadro representa menor gravidade, continua sendo assistida na Unidade Mista de Manoel Urbano.

Primeira paciente foi transferida pelo helicóptero. Foto: Odair Leal/Sesacre

Missão rápida

A missão de resgate foi realizada em uma ação rápida pelo governo do Estado e conduzida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (Samu) e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer). Logo após o acidente, a equipe de resgate aeromédico foi enviada ao local e realizou o translado da primeira paciente no início da noite de segunda-feira. Em seguida, as demais vítimas chegaram ao Pronto-Socorro da capital em um avião disponibilizado pela Sesacre e em ambulâncias, via terrestre.

Conforme nota oficial divulgada pelo governo do Estado, o avião de pequeno porte, modelo Cessna Skylane, caiu a 1 km da cabeceira da pista de Manoel Urbano, em uma área de difícil acesso. As informações foram confirmadas pelo Centro de Operações Policiais Militares (Copom) e Polícia Militar. O avião estava saindo de Manoel Urbano com destino a Santa Rosa do Purus.

O empresário peruano Sidney Estuardo Hoyle Vega não sobreviveu.