gerenciamento

Sob coordenação da Segurança, entidades irão realizar exercício simulado de roubo de valores

Uma empresa de transporte de valores será alvo de um ataque de criminosos. Portando armas pesadas, explosivos e usando pessoas como escudo humano, o grupo vai invadir o local na tentativa de roubar uma vultosa quantia.

Representantes das instituições se reuniram para discutir o planejamento da ação Foto: Jairo Barbosa/Sejusp

A estratégia, que relembra ações recentes de grupos que praticam ataques conhecidos pelas autoridades como “ação do novo cangaço”, será realizada na sexta-feira, 18, e faz parte um exercício simulado das forças de segurança pública do Acre, com apoio do Detran, Polícia Federal, RBTrans, Polícia Rodoviária Federal e uma empresa de transporte de valores.

A primeira reunião para definir o plano de ação se deu nesta quinta feira, 10, na sede da Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp), com a participação de representantes de todas essas instituições, sob a coordenação do tenente-coronel da Polícia Militar, Giovane Galvão, especialista em gerenciamento de crise.

O oficial explicou que o encontro serviu para definir qual o papel que cada instituição vai executar no exercício, definir a data e o local da simulação, além de pactuar todos detalhes para que nada fuja do roteiro. “ A proposta é simular uma ocorrência fazendo com que tudo suceda o mais próximo do real possível. Queremos atestar nosso poder de reação, tempo de resposta e sanar possíveis falhas que possam acontecer em caso de uma situação verídica”, explica.

Todas as polícias e demais instituições envolvidas no exercício terão uma tarefa a executar. A Polícia Federal vai empregar na ação o Grupo de Pronta Intervenção, o GPI, uma força especial altamente preparada para atuar nesse tipo de situação. A Polícia Rodoviária Federal vai bloquear as rodovias federais durante a ocorrência. No patrulhamento aéreo, o Centro Integrado Integrado de Operações Aéreas vai usar o helicóptero Harpia 04 dando suporte para as equipes em terra. De acordo com Galvão, será um exercício sincronizado, empregando cada força de acordo com o agravamento da ocorrência.

Na próxima terça-feira, 15, o grupo se reunirá para apresentar a proposta final para a simulação e divulgar a todos os interessados o local e o horário, evitando transtornos ou qualquer contratempo que possam interferir de forma direta no exercício simulado.