Sesc faz o lançamento de dois livros de Mário Diogo

Evento faz parte da programação de encerramento da Semana do Idoso

O ex-deputado estadual Mário Diogo de Melo, 95, realiza o lançamento de duas obras literárias – "Memórias" e "Boca do Acre e Seus Desbravadores" -, através do projeto Botequinta do Sesc. O lançamento acontece nesta quinta-feira, 2, às 19 horas, no Sesc/Centro, e faz parte das comemorações da Semana do Idoso, promovida pela instituição.

Filho de cearenses do sertão de Uruburetama, Mário Diogo de Melo é um exemplo da saga dos nordestinos que vieram para a Amazônia trabalhar nos seringais. Em seu livro autobiográfico "Memórias", o autor faz a narrativa da infância passada na pequena fazenda 11 de Junho, em Floriano Peixoto (hoje Boca do Acre), às margens do Rio Purus, com os pais e 13 irmãos.

Mário aprendeu a ler com a mãe, que usava como material as letras impressas nas caixas de alimentos que o pai comprava para consumo. A tinta era feita com o sumo de frutas coloridas.

E são nesses casos do cotidiano pobre e criativo que o autor revela a trajetória de homem que ocupou o cargo de deputado estadual e prefeito, além de dar informações sobre a alimentação, costumes, crendices e métodos de sobrevivência no trabalho do caboclo que habitava o interior do Amazonas, em meados do século passado.

Quando fala da sua vida profissional, Mário Diogo comenta as relações de trabalho naquele contexto. Já no livro "Memórias e Boca do Acre e Seus Desbravadores", o autor escreveu uma História de Boca do Acre, sua terra natal, situada à margem esquerda do Rio Purus, no Estado do Amazonas.

Foi para aquele lugar remoto na floresta que o avô João Gabriel de Carvalho Melo, cearense do sertão de Uruburetama, viajou com 12 companheiros em 1874. Antes, havia passado 20 anos no  Baixo Purus, voltando ao Ceará somente em 1876, quando a filha que deixara bebê já estava com 22 anos e noiva de um sertanejo. De volta ao Amazonas, ele trouxe, além dela, mais 50 famílias, que se estabeleceram no seringal Anajás.

O destino dessas 50 famílias e seus descendentes é narrado pelo autor de forma íntima, em linguagem direta. Ao longo de 200 páginas ele vai dando conta de cada um dos pioneiros e de seus descendentes, do desenvolvimento do município, da política e da economia, até o ano de 1997, encerrando o relato com a descrição da grande cheia dos rios Purus e Acre que levou o município à situação de calamidade pública naquele ano.

Serviço: Lançamento de Livros " Memórias" e "Boca do Acre e seus Desbravadores"
Horário: 19h
Local: SESC Centro, Avenida Brasil, 713
Informações: (68) 3212-281