Sesc Bosque recebe mais de 150 pessoas desabrigadas

situação_abrigo_sesc_bosque_foto_luciano_pontes (5)
Até o momento, mais de 250 pessoas estão abrigadas no Sesc Bosque (Foto: Luciano Pontes/Secom)

O abrigo público instalado no Sesc Bosque pela prefeitura e governo do Estado recebeu na manhã de segunda-feira, 2, cerca de 150 famílias desabrigadas pela cheia do Rio Acre, em Rio Branco. As mais de 250 pessoas estão dividindo o espaço, que tem 176 boxes disponíveis para abrigar os afetados pela alagação.

No local, há aproximadamente 60 pessoas de secretarias de Estado e voluntários realizando trabalhos diversos, como: acolhimento, cadastramento, distribuição de alimentos, recreação e orientação, entre outros.

A coordenadora de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Políticas Públicas para as Mulheres (SEPMulheres), Joelda Paes, explica que desde sábado os servidores desta e de muitas outras secretarias atuam em trabalho voluntário nos abrigos da capital.

“Essas pessoas muitas vezes estão perdidas e precisam de orientação, de uma palavra amiga, e é isso que estamos fazendo aqui. Neste momento de calamidade pública, nossa solidariedade enquanto povo acreano é muito importante”, conta Joelda.

situação_abrigo_sesc_bosque_foto_luciano_pontes (7)
São cerca de 60 voluntários trabalhando no local (Foto: Luciano Pontes/Secom)

A Companhia de Habitação do Acre (Cohab) também trabalha no local, dispondo de uma equipe de 40 pessoas para auxiliar nas demandas do abrigo. Para o diretor-presidente da Cohab e também coordenador do abrigo, Carlinhos Santiago, o apoio e logística das secretarias e voluntários é de grande importância.

“Trabalhamos aqui com todo o coração junto a essas famílias que foram atingidas. É um momento sensível da história, e nós faremos o possível para amenizar todos os problemas possíveis”, ressalta Carlinhos.

Outros abrigos

Além do Sesc Bosque, há também abrigos públicos no Parque de  Exposições Marechal Castelo Branco, Sest Senat, Ginásio do Sesi, Comara e na Sobral. O prefeito Marcus Alexandre e o governador Tião Viana decretaram ponto facultativo para os órgãos municipais e estaduais, no intuito de evitar grande tráfego nas áreas centrais e para que os servidores possam atuar como voluntários.