Sesacre disponibiliza serviço de informação sobre incêndio no Hospital da Criança

Pacientes foram transferidos para outras unidades hospitalares e ninguém saiu ferido

incendio_hospital_crianca_foto_angela_peres_02.jpg

Samu, Bombeiros e equipe do hospital agiram com rapidez e segurança (Foto: Angela Peres/Secom)

incendio_hospital_crianca_foto_angela_peres_01.jpg

Pacientes foram transferidos para outras unidades hospitalares (Foto: Angela Peres/Secom)

incendio_hospital_crianca_foto_angela_peres_06.jpg

Secretário de Saúde em coletiva falou sobre o ocorrido (Foto: Angela Peres/Secom)

As salas onde funcionam a farmácia e o almoxarifado do Hospital da Criança pegaram fogo na manhã desta quarta-feira, 3, e a fumaça se alastrou para uma parte do hospital. Os funcionários acionaram o Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e iniciaram a retirada dos pacientes, que estavam internados no espaço, em razão da reforma da Maternidade Bárbara Heliodora.

"A situação foi controlada. Com o trabalho da perícia saberemos as causas do incêndio", disse governador Binho Marques, que esteve no Hospital Infantil, viu de perto o que aconteceu e desfez os boatos de que haveria vítimas.

De acordo com a diretora da Maternidade, Lorena Valença, cerca de 60 pacientes, entre mulheres e recém-nascidos, foram rapidamente retirados do Hospital da Criança e transferidos para o Hospital Santa Juliana, Huerb e Unidade de Pronto Atendimento (UPA). O Samu realizou a triagem dos pacientes em relação à gravidade dos casos. "Os casos mais estáveis foram transferidos depois. É importante frisar que a retirada dos pacientes foi preventiva e que ninguém foi ferido", lembrou.

Um telefone foi colocado à disposição da população e dos familiares para que possam acompanhar e obter informações sobre os pacientes transferidos. O contato com a Secretaria Estadual de Saúde pode ser feito pelos telefones 3224-5400 e 3222-8181 (noite). A lista dos pacientes relocados para outros hospitais também pode ser obtida nesse número. Foi montada uma sala de situação no prédio do Centro de Oncologia (Cecon) para que representantes do Governo do Estado repassem as informações tanto à imprensa como à população em geral.

Durante a coletiva, o secretário de Saúde, Osvaldo Leal, destacou que a área onde ocorreu o princípio de incêndio é um ambiente restrito a funcionários e distante do local reservado aos pacientes internados. Os atendimentos de maternidade continuam sendo oferecidos no Hospital Santa Juliana no período em que o Hospital da Criança estiver interditado.

"O incêndio aconteceu na farmácia, distante da área de internação. A evacuação foi rápida e faz parte do conjunto de medidas preventivas que devem ser tomadas em situações como a que ocorreu", destacou o secretário. "Quero mais uma vez tranquilizar as pessoas. Apesar dos transtornos aos pacientes, ninguém saiu ferido e todos os equipamentos também foram retirados", completou Leal.

Ação do Corpo de Bombeiros

De acordo com o coronel Pires, do Corpo de Bombeiros, o incêndio já foi controlado, e o próximo passo será o rescaldo do prédio para que um perito, acompanhado da equipe do Corpo de Bombeiros, entre no local e faça a perícia para identificar o que casou a ocorrência. Todo o efetivo e as viaturas de combate a incêndio foram deslocados para a área.