é preciso se imunizar

Sesacre anuncia chegada de pentavalente e reforço de campanha contra o HPV

Ultimamente quem tem ido aos centros e postos de saúde em busca da vacina pentavalente, tem voltado sem conseguir a imunização dos bebês contra doenças como difteria, tétano, coqueluche, hebatite B e meningite.

É que desde o mês de dezembro do ano passado que o Ministério da Saúde, responsável pelo envio da vacina, não abastecia o estoque do produto aos estados do país.

No Acre, como havia um estoque considerável de vacinas, a população começou a sentir falta da pentavalente nas unidades de saúde desde o mês de fevereiro.

A boa notícia é que a coordenação do Programa Nacional de Imunização no estado anuncia a chegada de 4,5 mil doses da vacina ao Acre. A distribuição já para todos os municípios. Em Rio Branco, a pentavalente já deve estar disponível em todas as unidades a partir desta sexta-feira, 15, e no restante dos municípios, por conta da logística de distribuição, a partir de segunda-feira, dia 18.

Uma outra preocupação do setor de imunização no estado é quanto a cobertura vacinal contra HPV e Meningites.

Os últimos dados epidemiológicos mostram que, mais da metade dos adolescentes ainda precisam se imunizar. De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde (MS), atualmente no estado, 48,7% das meninas e 38,8% dos meninos foram imunizados contra o HPV.

Diante da baixa procura nas unidades básicas de saúde, onde estão disponíveis as salas de vacinas, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) reforça a importância das vacinas e convoca os adolescentes de todos os municípios acreanos para atualizarem suas cadernetas de vacinação.

“O adolescente tem uma resistência em relação à vacina, às vezes pelo fato de ser injetável, ou mesmo pela desinformação das inúmeras doenças que elas protegem. Por isso, é tão importante a conscientização dos pais para apoiar essa iniciativa e garantir que os jovens tenham acesso à vacina, pois quando ela é aplicada bem antes do início da atividade sexual se torna mais eficaz”, destaca o coordenador da Divisão Estadual de DSTs/AIDS e Hepatites Virais da Sesacre, Nelson Guedes.

Com vista as baixas coberturas vacinais em todos os estados da federação, o Ministério da Saúde lançou no mês de março uma nova campanha publicitária de mobilização para a vacinação de adolescentes contra HPV e Meningites. A campanha publicitária será veiculada até 30 de março e traz o slogan “Não perca a nova temporada de Vacinação contra a meningite C e o HPV”.

A iniciativa da pasta utiliza a linguagem das séries famosas de TV para aproximar os adolescentes ao tema. Vale lembrar que as duas vacinas já fazem parte do calendário de rotina disponível nas unidades de saúde, disponíveis pelo SUS.

Público-alvo

Deverão ser vacinadas contra o HPV, meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Neste ano, o Ministério da Saúde está ampliando a faixa etária da vacina meningite C, que agora passa a ser 11 a 14 anos de idade.

O Acre tem 36,7 mil adolescentes do sexo masculino, entre 11 e 14 anos incompletos (13 anos, 11 meses e 29 dias), que devem ser vacinados contra HPV. A meta é imunizar 80% desse público, o que representa cerca de 29,4 mil jovens.

O total de meninas no estado que fazem parte do público-alvo é 54,9 mil crianças e jovens do sexo feminino com idade entre 9 e 14 anos, sendo que a meta também é 80%.

ESQUEMA VACINAL – Meninos e meninas devem tomar duas doses da vacina HPV, com intervalo de seis meses entre elas. Para as pessoas que vivem com HIV, a faixa etária é mais ampla (9 a 26 anos) e o esquema vacinal é de três doses (intervalo de 0, 2 e 6 meses). No caso dos portadores de HIV, é necessário apresentar prescrição médica.

A vacina disponibilizada no SUS e o principal foco da vacinação é proteger contra o câncer de colo do útero, vulva, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas; verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus.

Para os meninos, a estratégia tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV.

O esquema vacinal da meningocócica C para o público de 11 a 14 anos, contabilizando 73,5 mil adolescentes no Acre nessa faixa etária, será de um reforço ou uma dose única, conforme a situação vacinal.