Valorização dos servidores

Servidores do TCE começam a estudar idiomas pelo Centro de Línguas da SEE

O Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE/AC) começou uma etapa importante rumo ao futuro e pela valorização do seu corpo de servidores. Teve início ontem, 4, a primeira aula do curso de idiomas oferecido pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio do Centro de Estudos de Línguas (CEL).

Pelo termo de cooperação técnica, a SEE vai oferecer seus professores em quatro turmas, sendo duas de inglês, uma de italiano e outra de espanhol, beneficiando cerca de 100 servidores. As turmas serão organizadas pela Escola de Contas Conselheiro Alcides Dutra de Lima.

Cerca de 100 servidores serão beneficiados com aulas de inglês, italiano e espanhol (Foto: Thais Farias)

A aula inaugural foi aberta pelo presidente do Tribunal, Valmir Ribeiro, e pelo secretário de Educação e Esporte, Marco Brandão. Logo depois, houve uma breve explicação de como funciona o CEL, feita pela estudante Sarah Evellyn Oliveira. Ela fez parte recentemente do seleto grupo de 50 estudantes brasileiros do programa Jovens Embaixadores, da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

“O Centro de Estudos de Línguas foi fundamental para que eu pudesse ser selecionada nas provas que são rigorosas e fizesse meu intercâmbio, uma missão diplomática aos Estados Unidos. Sem o CEL, eu não teria condições financeiras para arcar com um curso particular”, afirmou a jovem para uma plateia de servidores da instituição, conselheiros e procuradores do Ministério Público Especial de Contas.

Parceria entre SEE e Tribunal de Contas promove curso para servidores (Foto: Thais Farias)

Outro talento formado dentro das salas de aulas do Centro de Línguas da SEE, Abigail Sunamita Santos, que na semana passada venceu o Festival da Canção Estudantil, o FEC, e o Festival Solo Estudantil, apresentou a canção “Força Estranha”, de Caetano Veloso, em espanhol.

Celeiro de talentos

O secretário Marco Brandão reafirmou na cerimônia que o CEL, criado em 2011, tem o compromisso de atender à sociedade em demandas que a escola tradicional não consegue, o de oferecer a oportunidade de aprender inglês, italiano, francês, espanhol e até a Língua Brasileira de Sinais gratuitamente e de forma extremamente eficiente.

“No século da tecnologia e do conhecimento, da não fronteira e do não tempo, aprender uma língua estrangeira é essencial, porque é no âmbito da internet, ao alcance do celular, que as pessoas podem comprar, vender e socializar-se”, ressaltou Brandão.