Seop avalia estrutura de imóveis afetados pela enchente no Alto Acre

Os laudos irão validar os relatórios emitidos à Presidência da República (Foto: Angela Peres/Secom)
Os laudos irão validar os relatórios emitidos à Presidência da República (Foto: Angela Peres/Secom)

A enchente do Rio Acre, em Brasileia e Epitaciolândia, comprometeu grande parte da estrutura física dos imóveis atingidos. Neste domingo, 1, uma equipe de engenheiros civis da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras Públicas (Seop) realiza trabalho de avaliação das edificações e residências afetadas.

Os laudos irão validar os relatórios emitidos à Presidência da República, pelo governo do Estado. Na parte central de Brasileia, 27 imóveis comerciais estão totalmente comprometidos e devem ser demolidos nos próximos dias. A área não poderá ser reocupada. O diagnóstico técnico das cidades será concluído em uma semana.

O mecânico Antônio Nascimento, morador do bairro Leonardo Barbosa, ressalta a importância do trabalho: “Nós nunca tínhamos visto uma alagação como essa. Eu e minha família ainda estamos no abrigo público, pois identifiquei rachaduras nas paredes de casa. Temos medo de voltar com as crianças. Somente depois da avaliação do engenheiro é que teremos segurança para retornar”.

O diretor de obras da Seop, Átila Pinheiro explica que: “Esse diagnóstico avaliza a quantidade de unidades habitacionais que deverão ser construídas nos municípios, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida. Eles também orientam o trabalho de retorno às residências, realizado pela Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros”.