Senado Federal republica obra centenária da cultura indígena no Acre

Obra ganha sua terceira edição após 101 anos de publicação (Foto: divulgação)
Obra ganha sua terceira edição após 101 anos de publicação (Foto: divulgação)

Publicada originalmente em 1914, a obra “Rã-txa hu-ni-ku-in: gramática, textos e vocabulário caxinauás”, do historiador brasileiro Capistrano de Abreu (1853-1927), ganha sua terceira edição com apoio do Senado Federal após 101 anos de existência.

O livro foi resultado de um intenso trabalho realizado por Abreu com ajuda de dois jovens informantes indígenas (oriundos do Rio Iboiçu, afluente do Muru, em Tarauacá). Nas mais de 600 páginas, o autor reproduz a fala do índio, com a tradução literal feita na mesma ordem sintática, com todas as suas repetições e sonoridades.

Na época do lançamento, o livro tornou-se exemplar para a comunidade internacional de especialistas nas línguas sul-americanas, que tinha como principal missão o registro eficaz das culturas ameaçadas de extinção cultural.

A terceira reimpressão, revista para a nova publicação, veio após pedido da coordenação de ensino indígena da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), feito originalmente em 2008.

Socorro Oliveira, coordenadora de Ensino Indígena da SEE, explica que é importante que aconteça o resgate dessas e de outras obras relacionadas à temática linguística. “No estado já existem povos entre os quais apenas os mais velhos conseguem comunicar-se na língua indígena. Garantir que elas não sejam extintas é uma das missões do governo do Acre”, disse.