Seminário sobre gestão de terras mostra regularização fundiária do Acre

Janaina Guedes, diretora-presidente do Iteracre, mostra os avanços e desafios da regularização fundiária (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Janaina Guedes, diretora-presidente do Iteracre, mostra os avanços e desafios da regularização fundiária (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Até esta quarta-feira, 16, agentes institucionais, acadêmicos e pesquisadores da área ambiental participam do seminário Desenvolvimento Econômico e Governança Fundiária, realizado pela Universidade Federal do Acre (Ufac).

O encontro coloca em pauta o crescimento econômico, a qualidade do meio ambiente, a regularização fundiária e ambiental, entre outros assuntos que estão relacionadas à governança de terras.

O primeiro dia de discussões, realizado na tarde de segunda-feira, 14, contou com a participação da diretora-presidente do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), Janaina Guedes, que apresentou as políticas públicas de Estado que garantem o avanço da regularização fundiária no Acre.

“Já tivemos muitos avanços, mas ainda restam alguns desafios. Para isso, o Iteracre e os demais órgãos fundiários fortalecem a política de integração para que o número de pessoas e famílias beneficiadas por esse trabalho seja cada vez maior”, apontou a diretora.

Em sua apresentação, Janaina deu destaque à parceria firmada entre o Cadastro Ambiental Rural (CAR) com o atendimento do Mutirão de Regularização Ambiental e Fundiária, realizado em Tarauacá, neste ano.

Para o representante da comissão organizadora do seminário, Elyson Ferreira, a oportunidade é fundamental para promover o debate entre governo e comunidade acadêmica, a fim de aprimorar os conhecimentos e informações dessa área. “A nossa expectativa é de encontrar alternativas para conciliar o desenvolvimento econômico com as propostas de governança fundiária que o governo do Acre vem desenvolvendo”, disse.