Alto Acre

Seinfra fiscaliza obras de conclusão do Hospital de Brasileia

Em poucos dias o Hospital de Brasileia terá sua estrutura concluída. É o que aponta a fiscalização da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), após visita do chefe da Divisão de Fiscalização Ricardo Gonçalves, na manhã desta sexta-feira, 14. A previsão é de que os serviços sejam finalizados em no máximo duas semanas.

Hospital é considerado um dos maiores do Acre e é tido como referência no atendimento à população de toda a região do Alto Acre Foto: Jean Lopes

Nesta fase de finalização, após a retomada das obras de responsabilidade da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) já na gestão do governador Gladson Cameli, foram feitos reparos no sistema de climatização, pintura, adaptação da estrutura para instalação de equipamentos, além da inclusão do espaço de acessibilidade com a implantação do piso sinalizado.

A previsão é de que os serviços sejam finalizados em no máximo duas semanas Foto: Jean Lopes

“Essa é uma obra antiga que ainda não tinha sido concluída e precisávamos dar celeridade ao processo, prestarmos contas juntos aos órgãos financiadores e fiscalizadores, não só da parte física que é o prédio, mas também da parte documental finalizada. Os ajustes finais deverão ser sanados em uma semana, no máximo duas, e poderemos dar a obra como concluída”, explicou Ricardo Gonçalves.

Referência no Alto Acre

Com uma área construída de 12 mil metros quadrados, o hospital é considerado um dos maiores do Acre e é tido como referência no atendimento à população de toda a região do Alto Acre, incluindo pacientes vindos de países vizinhos como Peru e Bolívia. As obras foram iniciadas ainda em 2012 e, por falta de recursos ou alteração nos projetos, tiveram o cronograma alterado. A fase final do hospital foi entregue em 2018, mas durante a instalação dos equipamentos houve a necessidade de mais uma alteração.

Equipe da Seinfra realizou visita técnica às obras do hospital nesta nesta-feira Foto: Jean Lopes

“O atraso para a conclusão da fase final se deu a partir do momento em que a Sesacre começou a adquirir os equipamentos e tivemos que mudar algumas partes do projeto para solucionar os problemas encontrados. Até que o banco analisasse e que habilitasse toda a documentação, a obra fica parada ocasionando os atrasos. Enfim, com todos os problemas solucionados, vamos poder entregar a obra concluída”, finalizou dizendo Ítalo Medeiros, secretário de Infraestrutura.