combate ao crime

Segurança Pública deflagra Operação Fronteira Fechada em Plácido de Castro

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO) do Estado do Acre, composta pelas polícias Civil, Militar e Federal, deflagrou nesta sexta-feira, 5, a Operação Fronteira Fechada, na cidade de Plácido de Castro.

Na ocasião, foram cumpridos dez mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão contra membros de organização criminosa voltada à prática de tráfico de drogas, roubos e outros crimes violentos.

Operação foi desencadeada pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado do Estado do Acre, composta pelas polícias Civil, Militar e Federal Foto: Divulgação

O processo de investigação foi desenvolvido juntamente ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Acre e a Vara Especializada de Delitos de Organizações Criminosas da Comarca de Rio Branco. Assim, foi possível identificar as principais lideranças da organização criminosa em atuação na cidade de Plácido de Castro.

O aparato operacional também permitiu a localização de duas caminhonetes roubadas em território brasileiro e que seriam enviadas para a Bolívia. Os infratores foram flagrados e conduzidos à delegacia e os bens serão futuramente devolvidos aos reais proprietários.

Veículos roubados foram apreendidos durante a operação Foto: Divulgação

O delegado-geral de Polícia Civil, Josemar Portes, destacou que a operação demonstra o quão empenhados estão os policiais no enfrentamento à criminalidade, atingindo lideranças de organizações criminosas após investigação meticulosa. “As forças de segurança estão empenhadas. Independentemente do estado de pandemia e do risco, os nossos policiais estão ombreados no enfrentamento à criminalidade e essa operação exitosa será seguida de outras que também, por certo, terão êxito igual ou até superior”, afirmou.

Para o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, as operações realizadas no início de 2021 são fruto da integração construída desde o início do processo de gestão integrada da Secretaria. “Somente esta semana nós tivemos três operações, sendo uma da Polícia Civil, uma da Força Tarefa e outra da Polícia Militar com o Gaeco. Todas elas destinadas ao combate às organizações criminosas que atuam no estado, no Brasil e também da América latina e representam um forte impacto sobre essas organizações”, disse.

O secretário ressaltou que, por força das ações combinadas com o policiamento orientado para o problema as forças de segurança têm conseguido reduzir os indicadores de violência, tais como roubo, que em 2020 chegou a 37,8 de redução e os homicídios no início de 2021 que, no primeiro mês, chegou a quase 70% em todo o estado e na capital ultrapassou essa porcentagem. Somam-se a isso as constantes apreensões de entorpecentes.

Por fim, o secretário destacou que as ações de combate ao crime organizado continuarão com o trabalho integrado das polícias. “É importante destacar que apesar de integradas elas respeitam as competências constitucionais das forças de segurança, integram a política estadual de segurança pública e têm um forte apoio do Ministério da Justiça, em especial da Secretaria Extraordinária de Operações (Seop) que aporta, inclusive, recursos através do programa Vigia, para que as forças de segurança realizem operações de combate ao narconegócio e aos crimes transfronteiriços”, concluiu.