Sebrae e Instituto Dom Moacyr se unem para estimular o empreendedorismo

Coordenadores pedagógicos e professores serão capacitados para aplicar a metodologia nas escolas acreanas

Duas turmas de estudantes da Educação para Jovens e Adultos (Eja) e uma das Escola Campos Pereira receberão aulas de empreendedorismo do Projeto Despertar, que tem o objetivo principal de estimular nesses jovens o espírito empreendedor a fim de que atuem mais positivamente em sua vida profissional nas áreas pública e privada.

A metodologia desenvolvida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-Ceará) ganhou maior impulso no Rio Grande do Norte, onde foi implantado em treze escolas em 2003 e hoje já se estende por 138 estabelecimentos de ensino público e privado.

"O fundamental nesse trabalho é trazer ao jovem a consciência de que todos nós somos agentes ativos para o desenvolvimento de nossa sociedade e que, seja em nossos negócios particulares ou no emprego, devemos atuar sempre de modo empreendedor para que haja progresso constante, já que é isso que faz melhorar a qualidade de vida de todos nós!", afirma a pedagoga Regina Lúcia Alves Costa da Luz, facilitadora do Sebrae-RN e coordenadora do programa pela Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Norte.

Graças à parceria entre o Sebrae e o Governo do Estado, por meio do Instituto Dom Moacyr, esteve em Rio Branco treinando 32 coordenadores pedagógicos e professores, que a partir de agosto implantarão essa metodologia nas escolas acreanas.

O treinamento se estende por 96 horas, sendo 30 delas presenciais, outras 36 para pesquisa e as últimas 30 dedicadas à preparação da Feira do Jovem Empreendedor, para a qual se dividem em cinco equipes a fim de cumprir o desafio de criar um negócio sem contar com patrocínio do Sebrae ou da escola para gerar renda.

"Muitos desses empreendimentos experimentais têm se transformado em negócios continuados depois da feira. Tanto que neste ano estaremos editando um livro sobre os casos de sucesso empreendedor desses estudantes. Um de nossos alunos queria montar um restaurante de comida oriental, mas, sem muito recurso, improvisou uma banca de sushi. Nossa equipe do Sebrae o apresentou ao dono do restaurante Ginza, que o contratou como sushiman. Outra aluna começou a fazer churrasquinho com um quilo de carne e agora tem seu próprio ponto comercial", exemplifica Regina Lúcia.

No Acre, a aplicação da metodologia terá sua aula inaugural em agosto para as três turmas, cada uma com no máximo de 30 alunos de diferentes cursos. "Sempre trabalhamos com alunos do ensino médio, mas aqui no Acre a iniciativa do Sebrae está sendo inovadora porque inclui alunos de cursos profissionalizantes que estão prestes a entrar no mercado de trabalho."

Outra vantagem apontada pela facilitadora está no fato de que no Estado, além dos professores, os coordenadores pedagógicos também participaram do treinamento a fim de conhecer como funcionam a metodologia e os resultados que se quer alcançar. Segundo ela, isso é fundamental para que os professores recebam o apoio de que vão necessitar para o bom andamento dos trabalhos.

Ao concluir o curso, o aluno receberá um certificado com 96 horas de participação no treinamento e os professores, 180 horas.

A metodologia desenvolvida no Ceará ganha admiradores em todo o país, tanto que no ano passado começou a ser aplicada em Roraima. Este ano as escolas atendidas no Rio Grande do Norte foram visitadas pelos consultores do Sebrae Nacional e da Bahia, que também vai oferecer o treinamento a seus alunos.