Vigilância nutricional

Saúde realiza oficina sobre gestão do programa Bolsa Família

A coordenação geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde (MS), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), realiza nos dias 26 e 27 uma oficina de trabalho sobre o sistema de gestão do Programa Bolsa Família (PBF) na saúde, e o sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan).

O evento será na Unimeta, sala 320, a partir das 8h da manhã e está sendo organizado pela divisão de Alimentação e Nutrição do Departamento de Atenção Primária, Políticas e Programas Estratégicos (DAPE) da Sesacre.

“O objetivo da oficina é capacitar os profissionais de saúde usuários dos sistemas na operacionalização das funcionalidades, que têm papel fundamental na gestão das informações da vigilância alimentar e nutricional, e no registro dos dados do acompanhamento das condicionalidades do PBF na Saúde, nos municípios”, explica Deltirene Cardoso, chefe do Núcleo de Alimentação e Nutrição da Sesacre.

O público-alvo do evento são os coordenadores do PBF na saúde e os nutricionistas dos municípios das três regiões de saúde Foto: arquivo Secom

O público-alvo do evento são os coordenadores do PBF na saúde e os nutricionistas dos municípios das três regiões de saúde.

Sisvan

O Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional têm como um de seus objetivos manter o diagnóstico atualizado da situação do país no que se refere aos problemas da área de alimentação e nutrição que possuem relevância em termos de saúde pública, além de oferecer subsídios ao planejamento e à execução de medidas para melhoria da situação alimentar e nutricional da população brasileira (Protocolo do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional, 2008).

No Acre, em relação à cobertura do estado nutricional, os adolescentes configuram como a população mais acompanhada (67,61%), enquanto que os idosos são o menor público (8,79%). Quanto aos dados de consumo alimentar, esses ainda são muito insipientes, carecendo de melhor empenho na cobertura. Ambos os sistemas são alimentados pela gestão municipal, fomentados e monitorados pela gestão estadual.

PBF

O PBF é um programa federal de transferência direta de renda com condicionalidades, destinado às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, no qual o recebimento do benefício está vinculado ao cumprimento de compromissos assumidos pelas famílias e pelo poder público nas áreas da saúde, educação e assistência social.

O acompanhamento das condicionalidades de saúde do PBF insere-se no rol das atividades da Atenção Básica, proporcionado o olhar para a condição de saúde da unidade familiar (Passo a passo das ações do Departamento da Atenção Básica, 2015). Na primeira vigência de 2019 (janeiro a junho), o estado do Acre acompanhou 75,37% dos beneficiários do PBF na saúde.