Saúde orienta sobre a importância do cartão de identificação do paciente

Cartão emitido pela Central de Agendamentos de Cirurgia é essencial para a localização do paciente (Foto: Arquivo/Sesacre)

Para garantir um melhor atendimento com base no histórico de saúde do paciente, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesacre) orienta que o usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) guarde ou anote os números dos cartões de identificação do SUS e de agendamento de cirurgias do Hospital das Clínicas, para que possa ser emitida uma segunda via, sem prejuízos aos dados do usuário.

Essa base de dados que consta no número de identificação do usuário permite que seja verificado o histórico de saúde, bem como as unidades de saúde no qual ele fez atendimento, possibilitando um melhor diagnóstico e avaliação do paciente.

De acordo com Daniella Barcellos, gerente do Ambulatório do Hospital das Clínicas, o cartão SUS é nacional e o paciente acessa em qualquer estado.

Já o cartão emitido pela Central de Agendamento de Cirurgias (CAC) é essencial para a localização e manutenção do prontuário do paciente.

“Infelizmente é comum os pacientes comparecerem para consultas e exames sem os cartões. Isso atrasa o atendimento e principalmente prejudica a localização do prontuário médico”, conta, Daniella.

A gerente explica que há pacientes com cartões em duplicidade – quando perdem o original, acabam fazendo outro novo, sendo que o ideal seria apenas emitir uma segunda via.

“O maior prejuízo é quanto ao prontuário médico, que é um documento essencial para o acompanhamento clínico do paciente e também para uma adequação contida médica”, ressalta Daniella.

Cartão do SUS

O Cartão Nacional de Saúde é um instrumento que possibilita a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) ao usuário, ao profissional que os realizou e também à unidade de saúde onde foram realizados.

No cadastramento são identificados os usuários do Sistema Único de Saúde e seus domicílios de residência.

Por meio do cadastro é possibilitada a emissão do Cartão Nacional de Saúde, permitindo uma maior eficiência na realização das ações de natureza individual e coletiva desenvolvidas nas áreas de abrangência dos serviços de saúde.

A partir desses cadastros, os usuários do SUS e os profissionais de saúde recebem um número nacional de identificação.

O cadastramento permite a construção de um banco de dados para diagnóstico, avaliação, planejamento e programação das ações de saúde.