No mês do doador de sangue é realizada a campanha Junho Vermelho, que tem como objetivo conscientizar e incentivar a população sobre a importância da doação.

Pensando na campanha, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Justiça de Segurança Pública (Sejusp) e da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), idealizou uma ação de incentivo à doação de sangue a todos os servidores do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp).

Entre os dias 6 e 10, das 8h às 18h, os funcionários da segurança do Estado vão ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre (Hemoacre), em Rio Branco, realizar esse ato pela vida.

De acordo com Quésia Nogueira, doar é um ato a favor da vida. Foto: Neto Lucena/Secom

Quésia Nogueira, coordenadora da captação de doadores, explica que a ação é importante, pois há uma necessidade de 60 doadores por dia, e a instituição recebe uma média diária de 25 doações.

“Nesse Junho Vermelho firmamos parceria com as entidades, por meio de palestras e levando nossa van até as instituições para fazer o transporte dos doadores a fim de que possam realizar esse ato de solidariedade”, explicou.

Nogueira conta, ainda, que a parceria com a Sejusp vai ajudar a manter o estoque de bolsas de sangue em um nível bom.

Leidiane Costa destaca que os profissionais de segurança que vão doar também salvam vidas. Foto: Neto Lucena/Secom

“Com essa ação queremos levar ajuda a quem precisa, pois a doação é importante e pode salvar vidas, portanto nada mais justo que nossos operadores da segurança, que protegem a vida diariamente na rua, possam salvar vidas doando sangue”, frisou Leidiane Costa, psicóloga responsável pela Divisão Biopsicossocial do Centro Integrado de Apoio Biopsicossocial (Ciab), órgão integrado à Sejusp.

No dia 14 é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, e o Hemoacre vai realizar, neste dia, uma programação especial, para festejá-lo junto com os doadores. Além disso, Quésia Nogueira alertou para a necessidade de sangue para a realização das cirurgias eletivas.

“É importante receber doações, porque o Estado está realizando as cirurgias eletivas. Precisamos que a população compareça, pois é necessário ter sangue para que as cirurgias possam ocorrer”, concluiu.