Cultura de Acolhimento

Saúde distribui cartilha com recomendações para atendimento ao público LGBTQIA+

O Dia Internacional da Luta Contra a LGBTfobia é celebrado em 17 de maio. Buscando sensibilizar quanto ao atendimento e assistência ao público LGBTQIA+ no Sistema Único de Saúde (SUS), a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) realizou um evento piloto nesta quarta-feira, 17, com a entrega da cartilha Dicas para uma Cultura de Acolhimento, aos servidores da casa.

O plano é estender capacitações a todos os servidores da saúde estadual. Foto: Odair Leal/Sesacre

“É uma bandeira muito importante para nós. Vamos começar, inclusive, com o treinamento dos nossos servidores em todas as unidades de saúde, para que as pessoas sejam tratadas como querem e devem ser tratadas. A gestão está à disposição para qualquer assunto e necessidade que encontrarem”, declarou a secretária adjunta de administração da Sesacre, Andréa Pelatti.

De acordo com o chefe do Núcleo de Populações Prioritárias e Vulneráveis, ligado ao Departamento de Atenção Primária (Daps) da Sesacre, Nakágima Sanllay, a ação faz parte do plano de estratégias para qualificar o acolhimento à população LGBTQIA+ dentro do SUS.

“A gente precisa respeitar as particularidades, as identidades e orientações de cada pessoa. Isso é muito importante dentro do Sistema Único de Saúde, pois, ao pesquisarmos esses dados dentro do sistema e-SUS, percebemos que nós, da comunidade LGBTQIA+, somos subnotificados. A finalidade é que todos se sintam incluídos no atendimento em saúde”, enfatizou.

O chefe do Núcleo de Populações Prioritárias e Vulneráveis da Sesacre, Nakágima Sanllay. Foto: Odair Leal/Sesacre

Para a servidora Júlia Borges, esse tipo de iniciativa conversa com as pautas emergentes da sociedade. “Isso é muito importante para a saúde pública. Na última Conferência em Saúde, pudemos observar o sofrimento dessas pessoas ao tentarem acessar os serviços do SUS. Atender o público com respeito faz parte da nossa função”, disse.

O Ministério Público do Acre (MPAC) e a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre (OAB/AC) têm sido parceiros na implementação das políticas de acolhimento a essa população dentro das unidades de saúde.

Cartilha Dicas para uma Cultura de Acolhimento. Foto: Odair Leal/Sesacre

“Na data de hoje comemoramos a retirada da expressão homossexualismo como um sentido de doença do Cadastro Internacional de Doenças. Portanto, essa ação é um reflexo da sensibilidade que a gestão e a sociedade estão tendo para com essa temática”, afirmou o presidente da Comissão da Diversidade Sexual da OAB/AC, Felipe Lopes.

Confira a cartilha Dicas para uma Cultura de Acolhimento:

CARTILHA – LGBTQIA+