Saúde capacita profissionais que atuarão no Programa Infância Acreana

Oficina envolve profissionais de creches, escolas, CRAS e da Unidade de Saúde da Família (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)
Oficina envolve profissionais de creches, escolas, Cras e da Unidade de Saúde da Família (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

Para preparar os profissionais das áreas de saúde, educação e assistência social na execução das ações do Programa Infância Acreana (PIA), a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) deu início nesta quarta-feira, 18, a uma oficina na Universidade Federal do Acre. O principal objetivo é sensibilizar os membros das comissões executivas do programa, que irá prestar assistência a crianças de zero a seis anos de idade.

Anna Maria Chiesa, consultora técnica da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, veio de São Paulo para ministrar a oficina. A consultora explica que, com essa capacitação, os profissionais estarão aptos a fazer um trabalho com as famílias atendidas nessa rede de assistência, ampliando os conhecimentos sobre os melhores cuidados para o desenvolvimento integral da criança.

Anna Maira Chiesa diz que a capacitação é importante para a boa execução do PIA (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)
Anna Maria diz que a capacitação é importante para a boa execução do PIA (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

“A infância é um período relevante para o desenvolvimento integral do ser humano. A ciência nos dá evidências do quanto esse período, que vai principalmente da gestação até os três anos de idade, é a base para que o cérebro desenvolva funções mais complexas ao longo da vida. Então, coloca-nos como profissionais que devem estar atentos para não perder oportunidades de desenvolvimento adequado”, frisa.

A gerente da Divisão de Saúde da Criança da Sesacre, Priscylla Aguiar, contou que o plano-piloto do PIA está sendo executado na regional do Calafate, em Rio Branco. De acordo com a gerente, o programa vai trabalhar intersetorialidades. Para isso, estão envolvidos nas oficinas profissionais de creches, escolas, dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e da Unidade de Saúde da Família.

“Estamos trabalhando com profissionais dessas três áreas para organizar a rede de atenção à saúde da criança na região onde ela reside. Isso fará com que os serviços nos quais esse público esteja inserido tenha profissionais aptos a promover o desenvolvimento, as necessidades e, ainda, promova a prevenção de negligência e violência”, detalha.