Saúde prepara ações estratégias para o carnaval 2009

Saiba como vão funcionar os órgãos de saúde durante os dias de folia

SAMU

samu.jpg

Samu está com estratégia montada para atender os foliões nas principais festas de Carnaval (Foto: Arquivo/Secom)

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência- Samu – prepara operações especiais para atender os foliões nos principais destinos do Carnaval deste ano. De acordo com Lúcia Carlos, coordenadora-geral do Samu, no decorrer da folia são freqüentes ocorrências por intoxicação alcoólica, desidratação, ferimentos nos pés, agressões e desmaios. "Mais de 70% dos casos atendidos pelo Samu são ocasionados pelo consumo excessivo de álcool e mal-estar, visto que muitos não se alimentam adequadamente", explica.

Caso haja necessidade, o Samu está preparado para atender a população, bastando apenas discar 192, o número nacional de urgência. No Carnaval, as pessoas ainda contam com postos de atendimento instalados em pontos com muita movimentação, facilitando o socorro às vítimas e, se necessário, a remoção.

Nas noites de festa, profissionais como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, socorristas do corpo de bombeiros, pessoal de apoio, além dos acadêmicos de medicina da Universidade Federal do Acre- UFAC – e de enfermagem da União Educacional do Norte – Uninorte-, estão mobilizados, totalizando 205 profissionais atuando durante os quatro dias. A cidade de Rio Branco contará com sete ambulâncias, incluindo as de suporte básico e as de avançado – UTI.

O Samu é um programa do governo federal com a finalidade de reduzir o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as seqüelas originadas da falta de socorro precoce. Atende urgências clínicas, pediátricas, cirúrgicas, gineco-obstétricas e psiquiátricas.

DST/AIDS

dsc_0301.jpg

Pela primeira vez, o programa de combate à DST/Aids trabalha na distribuição de preservativos feito pela fábrica Natex. (Foto: Arquivo/Secom)

A Coordenação Estadual de DST/Aids realiza nesta sexta-feira, 20, das 8 às 11 horas, em frente ao Senadinho, o lançamento da campanha de prevenção da Aids e demais doenças sexualmente transmissíveis para o Carnaval de 2009. A campanha estadual deste ano traz o seguinte slogan: "Se é pra curtir, tem que se prevenir".

A gerente estadual do DST/Aids, Francimary Muniz de Lima, afirma que a equipe reúne esforços para que a programação da campanha de Carnaval cumpra os seus objetivos, os quais englobam e informação e distribuição dos preservativos, "medidas fundamentais quando o assunto é a prevenção de doenças causadas pelo contato sexual".

"A Secretaria de Estado de Saúde não medirá esforços para ampliar seu poder de ação e diminuir o índice de transmissão no período da festa, pois o povo merece e precisa que estejamos em campo prevenindo. Mesmo o Carnaval sendo uma brincadeira, todos devem preocupar-se com as DSTs", esclarece.

Neste ano, além dos preservativos enviados pelo Ministério da Saúde, serão distribuídas as camisinhas da fábrica Natex, produzidas aqui no Estado. Durante o carnaval, há a distribuição de um milhão e trezentos mil preservativos masculinos entre todos os municípios do Estado, de acordo com a programação de cada um.

A campanha nacional do Ministério da Saúde, em conjunto com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, traz o slogan "Sexo não tem idade para acabar. Proteção também não".  Isto porque as mulheres acima dos 50 anos não têm o hábito de usar preservativo, nem mesmo nas relações eventuais. Dados parciais de pesquisa de comportamento realizada pelo Ministério da Saúde em 2008 apontam que 72% das brasileiras nessa faixa etária não usam camisinha com parceiros casuais.

A pesquisa de comportamento revela ainda que mais da metade delas (55,3%) é sexualmente ativa. O problema é na hora de se prevenir. Enquanto o uso regular de camisinha nas relações casuais no grupo de 15 a 49 anos fica em 47,5%, nos mais velhos, esse índice é de apenas 34,8%. O recorte por sexo mostra que o público feminino está em situação mais vulnerável. Só 28% das "cinquentonas" e mais velhas adotam a prevenção. Entre os homens, o número sobe para 36,9%. Entre mulheres acima de 50 anos, a taxa mais que triplicou em dez anos. Em 1996, havia de 3,7 casos por 100 mil habitantes; em 2006, o índice já era 11,6.

HEMOACRE

dsc_0072.jpg

Hemoacre promove trabalho de conscientização para atrair novos doadores e promove coletas itinerantes durante o Carnaval (Foto: Arquivo/Secom)

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre – Hemoacre- lançou desde o dia 2 de fevereiro campanhas para coletar sangue na Uninorte e Instituto de Ensino Superior do Acre – Iesacre, além de promover divulgação e panfletagem para a doação de sangue em vários bairros de Rio Branco. Dia 20, realiza "bandeiraço" no Parque da Maternidade, esquina do Iesacre, das 18 às 21 horas.  Dia 24, há divulgação e panfletagem no Arena da Floresta. Já no dia 21, a unidade móvel do Hemocentro fica na Igreja Assembléia de Deus, das 8 às 17 horas. Durante os feriados de Carnaval, o Hemoacre funciona normalmente para receber os doadores.

Além disso, de 16 a 27 de fevereiro, os clientes da Vivo recebem torpedos SMS incentivando a doação de sangue. Serão enviadas 100 mil mensagens para clientes dos planos pré e pós-pago, cerca de 9 mil por dia, com orientações para reforçar o estoque de sangue do Hemoacre, que geralmente cai durante os feriados de carnaval. 

"Todos sabemos da importância de doar sangue. Não podemos nos esquecer de que o sangue retirado não faz falta para o doador, por isso não podemos ficar parados. A transfusão é bem simples e segura", declara o designer gráfico Allan Kenned Pessoa.

VIGILÂNCIA SANITÁRIA

A Divisão de Vigilância Sanitária Estadual – Divisa – também desenvolve uma série de ações de prevenção, proteção e assistência, visando garantir a tranqüilidade da população durante o Carnaval, com visitas de inspeção e fiscalização em todos os locais que recebem maior fluxo de pessoas (bares, restaurantes, pizzarias e clubes da cidade).  

A partir do dia 19 de fevereiro, a equipe realiza um trabalho educativo, orientando os proprietários de barracas sobre as formas corretas de acondicionamento dos alimentos, vestimentas adequadas, etc. Durante a festa, todos os estabelecimentos que comercializam bebidas e comidas são fiscalizados e inspecionados. 

Segundo a coordenadora estadual de Vigilância Sanitária, Albertina Costa, os fiscais inspecionam alimentos e aferem a data de validade dos produtos nas quatro noites de diversão. "Todos os estabelecimentos comerciais, vendedores ambulantes e barracas serão rigorosamente inspecionados em relação às condições higiênico-sanitárias. Em caso de irregularidades, a mercadoria será recolhida", explicou.

Quanto a denúncias, os foliões devem procurar a equipe da Divisão na tenda da coordenação do carnaval, localizada no Arena da Floresta. Neste ano, intensifica-se a fiscalização no fornecimento de gelos, uma vez que o produto é uma grande fonte de contaminação. Em Rio Branco, existem somente cinco indústrias de gelo com alvará sanitário.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest