Radioterapia do Hospital do Câncer será ampliada até o fim de 2016

A ordem de serviço foi entregue por representantes do Ministério da Saúde (Foto: Júnior Aguiar)
Ordem de serviço foi entregue por representantes do Ministério da Saúde (Foto: Júnior Aguiar)

Até o fim do próximo ano, o Hospital do Câncer de Rio Branco terá um novo aparelho de radioterapia: o acelerador linear.

O novo dispositivo vai permitir atender 110 pacientes por mês – o dobro da capacidade atual. O investimento do Ministério da Saúde (MS) é de, aproximadamente, R$ 5 milhões, entre ampliação do hospital e aquisição do novo equipamento, e faz parte do Plano de Expansão da Radioterapia do Sistema Único de Saúde (SUS).

A ordem de serviço para a construção da sala que abrigará o equipamento foi entregue na manhã desta quarta-feira, 19, à empresa que realizará a obra.

João Racy Neto, engenheiro civil, e Nelson Buso Filho, engenheiro mecânico, ambos do MS, fizeram a entrega do documento e realizaram reuniões com empresas, médicos do hospital e gestores da saúde estadual responsáveis pela execução do projeto.

De acordo com o médico Miguel Guizzardi, o novo aparelho é um dos mais modernos para o tratamento de câncer com radioterapia .

“O nosso equipamento atual [bomba de cobalto] nos limita a algumas técnicas. Com o novo equipamento [acelerador linear], vamos ofertar toda a assistência em radioterapia disponível no país”, ressaltou.

Outro diferencial para o equipamento de radioterapia por aceleração linear é que ele será fabricado e terá assistência técnica disponível no Brasil, o que não ocorre com o atual equipamento do Hospital do Câncer, de fabricação argentina e com manutenção técnica feita somente pelos profissionais do país de origem.

“A manutenção será mais bem realizada, pois teremos peças e técnicos aqui no Brasil. Quem ganhará com isso serão os pacientes, que não precisarão mais se ausentar do Estado para realizar o tratamento”, destacou a secretária adjunta de Atenção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), Paula Mariano.