“2009 com o dobro de empregos na construção”, afirma o presidente da Fieac

João Salomão diz que retração é própria do período e que em 2009 a economia continuará aquecida e puxará para cima indicadores industriais

foto_construo-civil.jpg

Construção civil impulsionará economia acriana em 2009, garante Federação das Indústrias (Foto: Arquivo/Secom)

A redução no nível de emprego na indústria acreana é conseqüência da sazonalidade e própria do inverno amazônico, quando obras param ou diminuem a atividade por causa das chuvas. A afirmação é do presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), João Salomão, que prevê que, apesar dos  atuais indicadores e da crise econômica internacional, a indústria irá gerar o dobro de empregos registrados no ano passado. "Em 2008, o pico foi de 10 mil empregos. Neste ano, esse número deverá chegar ser alcançado logo no mês de maio. 2009 será um ano muito bom", disse Salomão.

A economia industrial segue em elevação, sustenta o presidente da Fieac. Os indicadores de janeiro mostram  o que ele observa como "leve redução" no nível de emprego  na indústria, especialmente a construção civil. Porém, o acumulado nos últimos doze meses confirma a expansão: "a taxa de crescimento comparando janeiro deste ano com janeiro de 2008  é de mais de  30%", disse Salomão.

Nesse contexto, a construção civil é o carro-chefe na oferta de novos postos de trabalho e de canalização de recursos financeiros para outros segmentos, como o comércio, por exemplo. "Há obras públicas que estão paradas por conta das chuvas e outras sequer começaram, como as do setor habitacional", alertou o líder empresarial.