solidariedade

Projeto da PM leva cestas básicas às famílias carentes

Alunos do projeto “Em forma com o batalhão” implementado pelo o comando do 3° Batalhão de Polícia Militar (3° BPM), realizaram na manhã desta sexta-feira, 20, a entrega de cestas básicas e panetones para famílias carentes da região do São Francisco, em Rio Branco.

A ação social ocorreu após a coordenação do projeto arrecadar dinheiro para a realização de um campeonato de jiu-jitsu, no entanto, o valor arrecadado superou as expectativas. Então, a coordenação do projeto contemplou famílias carentes da região com cestas básicas.

“O dinheiro foi arrecadado por meio de rifas e por patrocinadores para a realização do campeonato dos jovens. Graças a Deus conseguimos importância em dinheiro suficiente e o que sobrou, nós transformamos nessas 20 cestas básicas e panetones para serem entregues. É uma ação que nós entendemos ser importante para a comunidade carente da nossa região”, explicou o comandante do 3° BPM, tenente-coronel Flávio Inácio.

A coordenação do projeto selecionou antecipadamente todas as famílias que seriam contempladas Foto: Jean Messias  – ASCOM PM

“Gostaria muito de agradecer aos anjos que Deus enviou para nos ajudar nesse projeto, são empresas, policiais militares, comandante-geral, comando do 3° BPM, e pessoas da comunidade, além dos pais que confiam no nosso trabalho e fazem que iniciativas como essa aconteçam”, agradeceu o professor de jiu-jitsu e idealizador do programa, sargento Ricardo Ferreira.

Foram contempladas 20 famílias carentes da região do São Francisco Foto: Jean Messias – ASCOM PM

Em forma com o batalhão

O projeto foi criado há quase 3 anos e já atendeu mais de 200 alunos de escolas públicas da região do São Francisco. Tem por objetivo promover a integração entre sociedade e a Polícia Militar possibilitando que jovens tenham instruções de artes marciais, ações educativas e profissionalizantes.

Para permanecer no projeto é exigido que os alunos tenham bom comportamento e não fiquem reprovados nas disciplinas escolares.

“O projeto ajuda a criança a melhorar o comportamento em casa, e na escola, porque antes o meu filho tinha alguns problemas, mas agora ele melhorou bastante. Gosto do projeto pois ele faz exercícios e se comunica mais com as pessoas”, destacou a dona de casa, Eliete Ferreira, mãe do jovem Paulo Silva aluno do projeto.