educação

Programa Escola em Casa: adaptando o ensino em prol dos alunos

A educação em busca de estar próximo, ainda que longe, dos estudantes acreanos

Completando um mês de lançamento, o programa Escola em Casa transformou a residência de muitos estudantes em uma extensão da sala de aula. Com a paralisação das aulas presencias, para evitar a proliferação da Covid-19, por enquanto, a lousa do professor é substituída pela tela da TV e as explicações ouvidas pelas ondas sonoras do rádio.

Idealizado pelo governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE), o programa exibe um cronograma de aulas semanais, transmitindo tanto para zona urbana, quanto para a zona rural, possibilitando um acesso integrado do ensino até mesmo para aqueles alunos em regiões mais isoladas.

Professora Elena Marques gravando áudio aulas no estúdio de rádio na estação Foto: Jorge William /SEE

Para a professora Elena Marques, as aulas pela TV e rádio tem sido uma excelente alternativa para os seus alunos da escola rural Ena Oliveira de Paula, localizada no projeto de assentamento Moreno Maia. “Devido a comunidade ser localizada às margens do Rio Acre, os alunos não tem acesso à internet. A TV e o rádio são os únicos meios deles acompanharem as aulas”, relata a professora de ciências.

Com uma forma totalmente diferente da que estão habituados, os alunos buscam novas maneiras de adaptar suas rotinas de estudos. Como conta Amanda Souza, aluna do 6º ano da escola rural Aracy Cerqueira, localizada na Vila Custódio Freire, distante 15 km de Rio Branco. “Durante a semana, eu e meus dois irmãos mais novos revisamos o conteúdo pela manhã e acompanhamos as aulas pela TV à tarde das 14 às 16 horas”, diz a estudante de 14 anos.

Aluna da escola rural Aracy Cerqueira acompanhando as aulas pela TV do programa Escola em Casa Foto: Cedida

Além da programação da TV e do rádio, os alunos que não tem acesso a esses meios tem a possibilidade de adquirir na própria escola o material impresso. elaborado pelos professores.

“Elaboramos atividades complementares a partir das vídeo aulas. Acompanhamos por meio de grupos de whatsapp. E, para aqueles alunos que não tem acesso à essas ferramentas, nós elaboramos atividades impressas de cada disciplina”, comenta a professora do ensino fundamental II da escola Aracy Cerqueira, Isabela Cristina.

Estudante da escola rural Aracy Cerqueira resolvendo atividades complementares disponibilizadas pela instituição Foto: Cedida

Com duração de 15 min, a programação é exibida na TV pelo canal Amazon Sat e pelas rádios Difusora Acreana, Aldeia e Verdes Floresta de Cruzeiro do Sul. “O legal de você assistir as aulas pela TV é que todo mundo acompanha junto. Meus pais e meus dois irmãos assistimos e corrigimos tudo junto”, relatou Marcos Vinicius, 8º ano da escola rural Wilson Pinheiro, no km 19 da Transacreana.

Buscando fortalecer os vínculos com os alunos e mantê-los em contato com os conteúdos estudados, além das aulas via áudio, vídeo e materiais impressos, o governo do estado disponibilizou conteúdos do ensino fundamental I ao 3º ano do ensino médio na plataforma digital Educ.

Aluno Marcos Vinicius acompanhando as vídeo aulas na companhia dos irmãos Foto: Cedida