Programa de café disponibilizará dois milhões de mudas para o Acre

A meta para este ano é fornecer mil mudas para os produtores. (Foto: Assessoria SEPN)
A meta para este ano é fornecer mil mudas para os produtores. (Foto: Assessoria SEPN)

A Secretaria de Estado de Pequenos Negócios (SEPN) e a Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) estão ampliando o programa de implantação de cafeicultura no Estado. Para este ano, estima-se uma produção de dois milhões de mudas da “Cultivar de café Conilon BRS Ouro Preto” – a primeira cultivar de café da Embrapa no Brasil, recomendada para a região de Rondônia e Acre, pois é adaptada 
ao clima e ao solo da região.

As sementes foram disponibilizadas para o Acre pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de Rondônia e serão distribuídas a todos os produtores interessados. Os viveiros que deverão produzir as mudas já estão sendo licitados, e a meta é alcançar mil produtores. No ano passado, as duas secretarias distribuíram 400 mil mudas para 200 produtores.

Dia de campo em Rondônia

No fim de maio, oito técnicos da SEPN e Seaprof participaram de um importante evento em Ouro Preto do Oeste, Rondônia, denominado ‘Dia de Campo de Café – Manejo, colheita e pós-colheita’, ocasião em que puderam ter acesso a tecnologias e inovações do setor, bem como conhecer a cultivar BRS Ouro Preto.

Segundo Rômulo Brando, coordenador do programa de café da SEPN e participante do encontro em Rondônia, a produção mundial pode não atender a demanda, pois os demandantes estão exigentes. Tanto é que o evento demonstrou a necessidade de bons tratos na condução da lavoura, da colheita, do despolpamento e da secagem.

“O produtor deve ter o zelo com a lavoura, a abertura para receber novas instruções, cuidar do padrão de adubação, da correção do solo, dos controles fitossanitários, bem como acompanhar e executar as dinâmicas do programa. Quem quiser produzir café pode entrar em contato com a SEPN ou a Seaprof”.