acre na cop27

Produtos extrativistas do Acre são apresentados para o mundo com perspectivas de receber mais investimentos  

Castanha, palmito e óleos de açaí, andiroba, copaíba, buriti e murmuru são alguns dos produtos extrativistas levados pela comitiva do Acre para a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP27), que ocorre em Sharm el Sheikh, no Egito, desde o último dia 8.

Kits estão sendo entregues durante as reuniões. Foto: Pedro Devani/Secom

Um kit contendo amostras de todos esses produtos estão sendo entregues nas reuniões bilaterais com parceiros e potenciais investidores. A ideia é apresentar os produtos já financiados por meio do Programa REM, desde a primeira fase de execução, a fim de conquistar mais financiamentos internacionais.

“Estamos na segunda fase do Programa REM e nesta etapa estamos fazendo uma ampliação para outras cadeias produtivas, como mel de abelha, mandioca, cupuaçu e cacau. Só para a borracha e murmuru já foram investidos 4,5 milhões de reais nesta fase”, disse a coordenadora do Programa REM, Roseneide Sena.

Proposta é apresentar os produtos já financiados por meio do Programa REM, desde a primeira fase de execução, a fim de conquistar mais financiamentos internacionais. Foto: Pedro Devani/Secom

Ao todo, em 10 anos de programa, mais de R$ 175 milhões foram investidos pelo banco alemão KfW, beneficiando 6.500 famílias que vivem na floresta, alcançando 25.893 pessoas no total. O programa já contribuiu com mais de 7,2 milhões de hectares de áreas florestais no estado do Acre, levando qualidade de vida às famílias que vivem na floresta.