Produtores de Vila Campinas são beneficiados com mecanização

Projeto prevê preparo da terra para plantio de macaxeira que irá abastecer casa de farinha

 

mecanizacao_agricola_foto_angela_peres_.jpg

Máquinas limpam áreas de terra para o plantio de macaxeira. Produto irá abastecer casa de farinha da região (Foto: Angela Peres/Secom)

O produtor Marcos Minori encontrou na mecanização a saída para integrar culturas ao aderir ao programa de cultivo de macaxeira para abastecer a casa de farinha inaugurada em novembro de 2008 em Vila Campinas. Proprietário do Lote 1 do ramal das Chácaras ele foi o primeiro a ser beneficiado com o processo de destoca para o plantio, feito por um trator de esteira que irá retirar troncos de árvores de uma área de um hectare.

O produtor irá pagar apenas a metade das horas de trabalho da máquina. A outra parte é custeada graças a uma iniciativa do gabinete do senador Tião Viana, em parceria com o Governo do Estado por meio da Secretaria de Apoio à Produção Familiar (Seaprof ), Secretaria de Agricultura e Pecuária (Seap), Sebrae, Fundação Banco do Brasil, Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Acre (Fetacre), Embrapa e prefeitura. O projeto prevê a construção de outras três casas de farinha do município de Plácido de Castro.

“Na lavoura o que mais dificulta a produção é o custo da mão de obra. A mecanização reduz esse custo pela metade. A intenção é fazer a integração lavoura/pecuária”, comemora Minori que poderá agora diversificar as culturas de macaxeira e milho, com as criações de rebanho bovino, ovino, suíno. Ele mantém ainda açude com 2 mil peixes e é um dos participantes do Programa Balde Cheio com produção diária de 120 litros de leite para venda in natura direto ao consumidor.

mecanizacao_agricola_foto_angela_peres_3.jpg

O produtor Marcos Minori aprendeu a integrar sistemas produtivos orientado por técnicos do Governo do Estado e prefeitura de Plácido de Castro (Foto: Angela Peres/Secom)

Em mais 15 dias, todos os lotes do ramal das Chácaras estarão preparados para receber as mudas de macaxeira, o que deve ser feito até setembro. São 56 hectares distribuídos em 26 propriedades por onde devem passar máquinas. A mecanização prevê a utilização de outros equipamentos pesados até a colheita. O secretário de Agricultura do município de Plácido de Castro, César Lazzare, diz que o objetivo é focar as ações na produção de macaxeira, feijão, arroz, milho, amendoim, banana e na bacia leiteira.

Inimigo do fogo – Marcos Minori que antes derrubava para a formação de pastos está agora, ao participar de programas de produção oferecidos pelo Governo do Estado, fazendo o caminho inverso. Ele que se diz “inimigo do fogo” já replantou 700 mudas de espécies originais da região para recuperar a mata ciliar em volta da nascente que existe em sua propriedade. “Fazemos aceiros, não queimamos o pasto. O gasto é maior mas o serviço é ecologicamente correto’, diz.