Produtores de milho se preparam para a colheita da safra

A estimativa é que a nova safra seja recorde (Foto: Angela Peres/Secom)
A estimativa é de que a nova safra seja recorde (Foto: Angela Peres/Secom)

Nesta semana, os produtores rurais do Acre iniciam a colheita da safra de milho 2014/2015. O governo do Estado, por meio da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), fornece aos agricultores a colheitadeira, equipamento agrícola destinado à apanha de lavouras. A estimativa é de que a nova safra seja recorde.

Com 380 hectares de área plantada, o produtor de Epitaciolândia Mário Maff deve colher mais de duas mil toneladas de milho. Toda a produção já está vendida – a maior parte vai ser comercializada para o complexo industrial da Acreaves. O plantio está avaliado em mais de R$ 1 milhão.

O governo fornece aos agricultores a colheitadeira para lavoura (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
O governo fornece aos agricultores a colheitadeira para a lavoura (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Há oito anos no ramo, Maff explica a importância da parceria com o governo: “Quem produz milho tem um mercado garantido. Temos o apoio do governo na secagem e armazenagem do grão e um mercado interno que consome toda a nossa produção. Sem esse apoio, a nossa produção seria apenas 10% do que temos hoje”.

Até o próximo ano, o produtor pretende expandir a lavoura em 500 hectares de área plantada. Glenilson Figueiredo, titular da Seaprof, ressalta que há um mercado interno garantido aos agricultores. “O crescimento no setor de indústrias tem impulsionado o consumo de grãos e gerado emprego e renda.”

Após a colheita, os grãos são destinados aos silos graneleiros, onde passam pelo processo de secagem, limpeza e armazenamento. O granel proporciona uma boa competitividade comercial ao produtor, explica o diretor de produção da Seaprof, Diogo Sobreira: “Na época da safra, o milho sofre uma variação de preço – entre 25 a 32 reais a saca. Com os silos, o produtor tem a possibilidade de conseguir o melhor preço, no tempo necessário para a venda”.