oportunidades

Primeira Rodada de Negócios do setor florestal reúne empresários e representantes de comunidades rurais do Juruá

Com objetivo de potencializar oportunidades comerciais, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Políticas Indígenas (Semapi) promoveu a primeira rodada de negócios entre empresários e representantes de comunidades detentoras de Plano de Manejo Florestal Sustentável Comunitário.

O evento tem como objetivo a criação de parcerias de negócios para estimular a circulação de capital de giro no setor florestal. Foto: cedida

O evento, realizado na Unidade de Gestão Ambiental (Ugai) do Liberdade, em Cruzeiro do Sul, contou com a participação de fornecedores de comunidades do Complexo de Florestas Estaduais do Rio Gregório (Cferg) e moveleiros dos parques industriais localizados nos municípios de Cruzeiro do Sul, Feijó e Sena Madureira.

De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente e Políticas Indígenas, Israel Milani, os polos moveleiros terão a oportunidade de obter madeira de origem legal. “Essa rodada de negócios é importante para movimentar a economia, viabilizar a venda da madeira dos manejos comunitários e principalmente garantir a matéria-prima legalizada. É o governo do Estado contribuindo diretamente para a sustentabilidade da floresta”.

A coordenadora do Núcleo de Manejo Florestal Madeireiro da Semapi, Luciana Cristina Rôla, destaca que o encontro proporcionou parcerias de negócios para captar recursos financeiros, afim de gerar bens e serviços e, com isso, estimular a circulação de capital de giro no setor florestal.

Representantes da Comunidades da Associação Agroextrativista do Complexo de Floresta Estadual do Rio Gregório, Associação Fortaleza Acreana, Associação Agroextrativista São Francisco de Assis do Rio Liberdade, Associação Agroflorestal da Região do Rio Gregório e BR-36, Associação dos Agricultores e Extrativistas da Região do Rio Tauari, Associação dos Pequenos Produtores Agroflorestais da Comunidade Mamoré e Maracanã, além de empresários de Cruzeiro do Sul, Feijó e Sena Madureira.

“Para nossa comunidade valeu muito a pena participar deste evento. Eu acredito que para os demais representantes também. A Rodada de Negócios foi bem proveitosa. Acredito que a gente tem que ter mais reuniões como essa para estar por dentro do mundo dos negócios, com a devida orientação que recebemos durante o encontro. É importante pra quem mora dentro da floresta saber o que pode e não pode fazer em termos de negócios com respeito a legislação ambiental”, ressaltou o presidente da Associação Agroextrativista do Complexo de Floresta Estadual do Rio Gregório, Shalioney da Silva.

Manoel Oliveira de Araújo, do Polo Moveleiro de Sena Madureira, elogiou a iniciativa ao reunir empresários e representantes de comunidades rurais do setor florestal. “Esse encontro foi bom para conhecer e manter contato com novos fornecedores. A equipe do Governo está de parabéns. Quero agradecer a oportunidade e espero participar de novos encontros como esse que estimula e aproxima fornecedores e compradores”.

Semapi promoveu a primeira rodada de negócio entre empresários e representantes de comunidades do Juruá. Foto: Cedida.

A rodada de negócios é parte das ações firmadas entre a Semapi e a Cooperativa dos Produtores Florestais Comunitários (Cooperfloresta), no âmbito do Programa de Desenvolvimento Sustentável (PDSA, BID/Fase II), que tem como beneficiários diretos a comunidade da Cferg. O evento contou ainda com apoio de técnicos da Semapi, da Fundação de Tecnologia do Estado do Acre (Funtac) e pesquisadores da Universidade Federal do Acre (Ufac). A equipe da Semapi segue no Juruá realizando uma série de atividades.

“Foi uma rodada de negócios muito proveitosa, pois pudemos conhecer novos fornecedores que podem comercializar madeira dentro da legalidade e certificada com plano de manejo. Isso é muito importante, a gente precisa desse apoio e incentivo. Eu investi na minha empresa para ficar legalizada e poder concorrer às licitações no setor madeireiro. A gente espera contar com apoio logístico do governo do estado junto aos produtores para retirada de madeira certificada, pois eles precisam desse apoio. Esperamos que dê tudo certo, que a gente tenha alternativas para melhorar tanto o lado do produtor, como pra nós”, destaca Ronaldo  Dias de Azevedo, empresário do setor moveleiro, em Cruzeiro do Sul.