saúde

Policlínica do Tucumã garante assistência a pacientes com CNEP

Mesmo durante a pandemia, a assistência a pacientes diagnosticadas com Crise Não Epiléptica Psicogênica (CNEP), de acordo com a Universidade de São Paulo (USP), continua regular e ainda mais organizado. É que a Policlínica do Tucumã, referência ambulatorial para essas pacientes, modificou o protocolo de atendimento para garantir melhor acompanhamento e organização do fluxo.

Com a mudança, os agendamentos de consultas e trocas de receitas dessas pacientes serão feitos por telefone (3229-5982) não mais necessitando ir até a unidade para o agendamento com a assistente social. A Policlínica Tucumã passa a disponibilizar vagas exclusivas, sem que haja prejuízos às vagas ambulatoriais comuns. O funcionamento é de 7 às 17 horas.

Policlínica do Tucumã, referência ambulatorial para pacientes diagnosticadas com CNEP, modificou o protocolo de atendimento para garantir melhor acompanhamento e organização do fluxo Foto Odair Leal/Secom

“O atendimento clínico está sendo feito com os médicos de referência da Unidade que a Sesacre pôs à disposição para atender as pacientes. Caso haja necessidade de atendimento especializado, o médico clínico demanda por encaminhamento, garantindo um melhor acompanhamento da evolução das meninas”, explica João Paulo Silva, gerente da Policlínica do Tucumã.

Regulação do fluxo

Neste mês de julho foi realizada uma reunião com Ministério Público do Acre, Universidade de São Paulo (USP), Conselho Regional de Medicina (CRM) e Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), para organizar o fluxo de atendimento.

“Não havia um fluxo sistematizado do serviço, elas tinham a necessidade de trocar a receita, em razão do uso contínuo dos medicamentos, porém essa troca de receita requer uma avaliação médica. Daí a necessidade de elas serem acompanhadas e monitoradas em ambulatório”, explica o gerente da Policlínica do Tucumã.

Do setor de Saúde do Estado, estiveram presentes a gerência da Regulação da Policlínica do Tucumã e equipe médica que acompanha as pacientes. Durante a reunião foram expostos todos os questionamentos sobre a melhor forma de garantir a assistência às jovens.

“Na conversa com todos os pares, entendemos as dúvidas e então fizemos o alinhamento e organização do processo desde a porta de entrada da unidade hospitalar. Nós continuamos assegurando o atendimento que já vinha sendo feito pelo Estado, porém agora de uma forma sistematizada”, ressalta João Paulo Silva.

Unidades de Referência

Para as pacientes, nos casos de atendimentos de urgências, o local de referência é a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sobral .