Parador 27

Policiais do Acre participam de operação nacional de combate à exploração sexual de menores

Em alusão ao mês de maio, dedicado ao combate de abusos e exploração sexual de crianças e adolescentes, o Ministerio da Justiça, com o apoio das forças de segurança em cada unidade federativa do país, deflagrou a Operação Parador 27. No total foram presos 124 suspeitos de envolvimento com os crimes e resgatados 67 menores encontrados em situações de efetiva explora sexual e vulnerabilidade, em todo o país..

No Acre, a operação foi realizada sob a supervisão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em parceria com a Polícia Civil e Militar. Uma reunião já havia sido realizada junto à Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), para alinhamento dos detalhes da operação que ocorreu na noite da última quinta-feira, 27, de forma simultânea em pontos estratégicos da capital e municípios do interior. Três foram presos suspeitos de envolvimento nesses tipos de crime, segundo dados divulgados pelo Ministério da Justiça.

O ponto de partida da operação se deu na direção de Polícia Civil, em Rio Branco. Foto: Dhárcules Pinheiro

Durante coletiva de imprensa realizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública para amostra dos resultados da operação nesta sexta-feira, 28, a ministra Damares Alves, defensora de causas sociais, alertou sobre os cuidados com crianças e adolescentes, mesmo em ambientes familiares. ” O abuso sexual de crianças se dá em diversos espaços. Na rua, na Internet, dentro de casa, nos lugares onde menos se pode imaginar, por isso precisamos ficar de olhos abertos e denunciar”, alertou a ministra.

A operação foi subsidiada com informações fornecidas por meio do Projeto Mapear, criado há 18 anos para cruzar dados de todo o país e, assim, identificar pontos vulneráveis de exploração ou suspeitos desses crimes. Parte das informações que são analisadas pelo projeto vem de denúncias anônimas.

Não se cale, denuncie!

Para ajudar a tirar crianças do alvo de exploradores sexuais, o Ministério da Justiça dispõe de serviços gratuitos ao alcance da população. Basta ligar no disque-denúncia contra abuso e exploração sexual de menores, nos números 100, 191 ou 180.

7