conhecimento

Polícia Militar inicia Curso de Operador de Aeronave Remotamente Pilotada voltado para área de Inteligência

A Polícia Militar do Acre (PMAC), por meio da Assessoria de Inteligência e Análise Criminal (ASSEIAC), iniciou nesta segunda-feira, 4, o Curso de Formação de Operadores de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPA) – conhecido popularmente como drone – voltado à atuação da Inteligência Policial. A solenidade de abertura da capacitação ocorreu no auditório do Colégio Militar Estadual Tiradentes (CMET) e atenderá 19 profissionais da PMAC, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal.

Dezenove profissionais de Segurança Pública iniciaram o curso que tem previsão de término dia 8 de abril. Foto: David Landim

O comandante-geral, coronel Paulo César Gomes, destacou o momento ímpar da corporação. “A ideia é cada vez mais darmos condições para que o policial militar trabalhe melhor, nesta busca da produção do conhecimento, e o drone é uma das ferramentas que proporcionam um retorno enorme à nossa corporação. Assim, a realização deste curso é a multiplicação do conhecimento, tendo como objetivo na nossa gestão, e ampliação destas capacitações, nos tornando uma Polícia mais técnica para executar nosso serviço de forma mais eficiente”, destacou.

As Aeronaves Remotamente Pilotadas – RPAs – têm sido fundamentais para a Segurança Pública. Foto: David Landim

Coronel Luciano Dias Fonseca, subcomandante-geral da PMAC, enfatizou o papel da tecnologia para a Segurança Pública. “A tecnologia é um instrumento importantíssimo para nós, policiais, e para a Segurança Pública, aprimorando o conhecimento para que seja utilizado da melhor forma possível. Antigamente, por exemplo, para fazermos um levantamento de reintegração de posse era um custo altíssimo. Hoje já podemos fazer com um equipamento a custo quase zero, que é o drone. Esse momento demonstra que é essencial que busquemos modernizar o Setor de Inteligência da Segurança Pública, e é um passo importante para todas as instituições”, disse.

Major Prigulim Araújo, assessor de inteligência da PMAC, enfatizou a relevância da capacitação do profissional de inteligência policial. “O objetivo é qualificar ainda mais os profissionais de inteligência, para que eles possam exercer suas atividades conforme as demandas que nos são apresentadas diariamente; importante também destacar essa oportunidade que estamos tendo, de interagir, pois a inteligência precisa dessa rede de interação, mantendo um contato contínuo entre forças policiais”, informou.

Estiveram presentes na solenidade autoridades civis e militares. Foto: David Landim

Julio Matos é sargento da Polícia Militar no município de Tarauacá. O profissional pegou a estrada e veio participar do curso, que terá 50 horas de duração, com previsão de término no dia 8 de abril. Para ele, a capacitação será importante para o desempenho de suas atividades. “Para o Batalhão (7° BPM) é de grande importância a capacitação, pois vai aprimorar o conhecimento e aperfeiçoar o trabalho que desenvolvemos na comunidade da nossa cidade”, disse o sargento.

Também estiveram presentes na solenidade a tenente-coronel Marta Renata, assessora jurídica da PMAC e o delegado Martin Fillus, chefe do Setor de Inteligência da Polícia Civil do Acre (PCAC).