segurança

Polícia Militar e Ministério Público iniciam segunda fase da Operação Livro Caixa

Em ação conjunta entre a Polícia Militar, por meio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e o Ministério Público do Estado do Acre, por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), foi iniciada na manhã desta quarta-feira, 3, a segunda fase da Operação Livro Caixa. Durante a ação, foram cumpridos 32 mandados judiciais, sendo 18 de prisão e 14 de busca e apreensão.

Em Rio Branco, os mandados foram cumpridos nos bairros Cidade do Povo, Santa Inês e Boa União. Outros mandados também foram cumpridos em Boca do Acre (AM) e Dourados (MS). Além desses, três mandados foram cumpridos no Complexo Penitenciário de Rio Branco.

Operação começou ainda na madrugada desta quarta-feira, 3.  Foto: Divulgação

De acordo com o promotor e coordenador adjunto do Gaeco, Bernardo Albano, esta segunda fase da Operação Livro Caixa diz respeito ao trabalho de aprofundamento dos elementos de prova que já foram colhidos durante a primeira fase. Albano relembrou que, ao longo das investigações da primeira fase, foi identificado um núcleo de organização criminosa que realizava extorsão de comerciantes e também o cadastramento de novo integrantes.

“Naquele primeiro momento, tivemos a desarticulação desse núcleo. Com a apreensão dos elementos de prova da deflagração da primeira fase, chegamos à identificação de novas lideranças”, relatou.

Material apreendido será devidamente analisado. Foto: Divulgação

Sobre a parceria, o promotor ressaltou que a operação foi bem sucedida em sua conclusão, justamente pelo trabalho realizado de forma integrada. “O combate às organizações criminosas deve ocorrer de forma sistêmica, integrada e contínua”, afirmou.

O comandante do Bope, tenente-coronel Fredson Araújo, explicou que para o suporte da operação foi empregado um efetivo de 60 policiais. Araújo destacou que o objetivo é desestabilizar as organizações criminosas que agem no estado. “O trabalho deve continuar. É um trabalho de inteligência e de investigação para chegar a todos aqueles que fazem parte dessas organizações”, disse.

O material apreendido será devidamente analisado para o planejamento de outras operações dessa natureza. Nesta segunda fase, as prisões realizadas se relacionam a pessoas que ocupavam cargos de liderança.