Peixes da Amazônia realiza encontro com empresários e chefs de cozinha

Na visita foi explicado o processo de filetagem, evisceração e embalagem (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Na visita, foi explicado o processo de filetagem, evisceração e embalagem (Foto: Diego Gurgel/Secom)

A Peixes da Amazônia realizou uma vivência sobre o processo de elaboração dos produtos desenvolvidos pela marca, com empresários da área de gastronomia e chefs de cozinha de Rio Branco, no Complexo de Piscicultura, na tarde de segunda, 30.

O encontro faz parte da parceria do governo do Estado, por meio da Agência de Negócios do Acre (Anac), com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Acre (Abrasel), para a realização da terceira edição do Festival de Gastronomia da Semana Santa. O evento ocorre de 1 a 5 de abril, em Rio Branco.

“A ideia é promover e divulgar no mercado acreano os produtos elaborados pela Peixes da Amazônia. Além dos supermercados, os restaurantes fortalecem o pilar para expansão das cadeias produtivas e dos negócios”, explicou Inácio Moreira, presidente da Anac.

A visita ao espaço foi conduzida pelo gerente de operações Jair Bataline, que mostrou todas as instalações e explicou os processos de filetagem, evisceração, embalagem do produto e outros procedimentos.

A chef de cozinha Rosimeire Lima de Souza, com experiência de 16 anos no ramo, falou de sua satisfação ao conhecer o projeto.

“Estou muito feliz com tudo que vi aqui no complexo. Fazer receitas com o peixe produzido na nossa terra dá mais prazer ainda. A gente põe mais amor no tempero. Podem aguardar saborosas receitas no festival”, disse.

A Escola de Gastronomia e Hospitalidade do Acre, idealizada pela primeira-dama Marlúcia Cândida, tem sua participação no festival.

“Iremos nessa parceria com a Abrasel e Peixes da Amazônia trabalhar a ideia de promover a gastronomia acreana, para que as preparações e receitas agreguem o nosso sabor e identidade, conceito promovido por Marlúcia Cândida”, comentou Patrycia Lopes Coelho, da escola de gastronomia.

Para Júnior Ari, presidente da Abrasel, o festival só tem a ganhar com o novo formato e a rede de parceiros. Ao todo, participam 17 restaurantes da capital. “A Abrasel estará em outros projetos com o governo do Estado e com a escola de gastronomia. Isso só tem a fortalecer a rede de restaurantes e o mercado.”

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest