estande institucional

Participação do Acre no Salão Nacional de Turismo foi sucesso, avalia secretário  

Sentimento de sucesso e dever cumprido. Assim o secretário de Turismo e Empreendedorismo, Marcelo Messias, definiu a participação do Acre no Salão Nacional de Turismo, que se encerrou neste domingo, 17, em Brasília.

Secretário Marcelo Messias. demais integrantes da equipe do Acre e a deputada Célia Xakriabá. Foto: Wesley Moraes/Seplan

O governo do Estado participou do Salão por meio da Secretaria de Turismo e Empreendedorismo, com parceiros, e contou com seis estandes abrangendo experiências turísticas –  Trilha Chico Mendes, Parque Serra do Divisor, Rio Croa e Vivências e festivais indígenas – além de um estande institucional e outro com artesanato local.

“A participação do Acre foi extremamente positiva, nossos estandes geraram interesse e foram muito visitados, tanto as nossas experiências turísticas quanto os produtos associados ao turismo, como o artesanato, além do sucesso do prato típico aqui apresentado, o Pirarucu à Casaca. Então voltamos com o sentimento de dever cumprido”, disse o secretário.

Secretário de turismo, Marcelo Messias, com equipes do Acre e da Embratur. Foto: Wesley Moraes/Seplan

Marcelo Messias reforçou a importância da realização do Salão, pelo governo federal, após 12 anos sem ser realizado. É por meio da iniciativa, lembrou ele, “que os estados podem divulgar nacionalmente o seu potencial turístico e atrair os visitantes”. O agradecimento foi feito a integrantes da Embratur, órgão ligado ao Ministério do Turismo, que promove o evento.

Apresentação do grupo musical Saiti Munuti – Cantos e Encantos Yawanawa. Foto: Wesley Moraes/Seplan

Entre as atividades deste domingo, o secretário de Turismo assistiu à apresentação, no palco principal do Salão, do grupo musical Saiti Munuti – Cantos e Encantos Yawanawa, do povo indígena Yawanawa, sucesso entre os espectadores como Lauana Nogueira, secretária de Turismo de Mambaí, município de Goiás.

Lauana Nogueira, secretária de turismo de Mambaí (GO). Foto: Wesley Moraes/Seplan

“A apresentação foi maravilhosa, é incrível a riqueza que o nosso país tem, cultural, de pessoas”, disse Lauana, que elogiou a participação acreana no evento. “O Acre está muito bem representado, foi uma apresentação muito forte, as pinturas indígenas, o som, as tradições, a gastronomia, está tudo muito bem representado aqui”, afirmou.

A participação do grupo musical indígena no Salão teve o apoio da Secretaria dos Povos Indígenas. Integrante do grupo, Paka Yawanawa explicou a importância dos cantos na cultura do seu povo para chegar ao coração das pessoas.  “A gente está aqui para dizer que somos seres humanos iguais às outras pessoas, que merecemos respeito e o nosso lugar, para levar a nossa mensagem, a mensagem da floresta e de todos os seres divinos da floresta”, afirmou, lembrando que também é um estímulo para que as pessoas conheçam melhor essa cultura.

Entre os espectadores do show musical do grupo indígena acreano, estava a deputada federal por Minas Gerais, Célia Xakriabá, também indígena, que participou inclusive dançando com outras pessoas presentes na apresentação dos indígenas acreanos.  “Onde tem parente, é uma forma de a gente  não se sentir solitário”, disse, destacando a importância da presença indígena. “Enquanto não somos vítimas do racismo e da presença, nós somos vítimas do racismo da solidão. Então, onde eu escuto um canto indígena eu estou”, afirmou.

Deputada Célia Xakriabá e outros expectadores dançam na apresentação do grupo indígena acreano. Foto: Wesley Moraes/Seplan

A mostra cultural com apresentação musical do grupo Saiti Munuti – Cantos e Encantos Yawanawa no evento teve o apoio do Sesc Acre e contou com a presença da representante do órgão no evento, Nárdia Chaves.

Também esteve nas atividades do Acre no Salão a diretora de Relações Federativas da Secretaria de Planejamento do Acre, Rosangela Bardales.

A participação do estado no Salão foi realizada também com o apoio do programa REM Fase II – coordenado pela Secretaria de Planejamento – e  da Casa Civil.