Parque do Remanso se torna mais uma área de lazer em Cruzeiro do Sul

Mesmo antes de ser concluído o parque já atrai pessoas para caminhadas (Foto: Onofre Brito/Secom)
Mesmo antes de ser concluído, o parque já atrai pessoas para caminhadas (Foto: Onofre Brito/Secom)

Uma área alagável de cerca de 22 hectares, em que centenas de famílias habitavam em condições precárias, está sendo transformada pelo governo do Estado no mais importante parque de Cruzeiro do Sul: o Parque Linear do Remanso, que abrange também parte dos bairros Cobal e Telégrafo.

A aposentada Marluce Fernandes da Silva, que mora há 30 anos na Rua 17 de Novembro, uma das muitas pavimentadas pelo governo no entorno do parque, conta que a região era “péssima para se viver”.

Nos dias de alagamentos, ela ajudava a socorrer os mais necessitados que perdiam suas coisas, pedindo ajuda aos órgãos públicos e à população.

Marluce Fernandes
Marluce Fernandes: “A gente nem acreditava” (Foto: Onofre Brito/Secom)

Hoje, com a primeira etapa quase finalizada, ela vê que o ambiente mudou e lembra que durante as tardes muitas pessoas procuram o local para caminhadas, até mesmo pessoas de outros bairros.

“Isso aqui parecia que não ia ter jeito. A gente nem acreditava. A minha rua foi privilegiada. Nossos terrenos ficaram muito mais valorizados e a qualidade de vida e a saúde das pessoas não se pode nem comparar. Não apenas melhorou: aqui virou outro lugar.”

Duas etapas

Da primeira fase só faltam alguns acertos (Foto: Onofre Brito/Secom)
Da primeira fase só faltam alguns acertos (Foto: Onofre Brito/Secom)

Segundo o gestor da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras Públicas (Seop) Valdecir Simões, a área era ocupada em condições precárias, e por isso houve a intervenção do governo decidindo pela construção de um canal de escoamento das águas pluviais e no seu entorno, um parque.

A primeira etapa de trabalho consistiu na remoção das pessoas que habitavam exatamente sobre a área onde fora construído o canal. Mais de 90 famílias foram retiradas e indenizadas de forma que puderam adquirir casas em bairros próximos.

Em seguida, veio o saneamento ambiental que incluiu drenagem, construção de rede de esgoto, construção de Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), pavimentação asfáltica das ruas do entorno e implantação de calçadas amplas de passeio e de pedestre e ciclovias. Toda a área é delimitada por cerca de madeira pintada de verde, que embeleza ainda mais o local.

Da primeira etapa ainda faltam pequenos acertos nas ruas beneficiadas, e a segunda etapa já foi iniciada. Esta prevê a construção de duas quadras – uma poliesportiva e uma de areia -, ambas com as obras iniciadas.

Ainda serão construídos um anfiteatro, quiosques para instalação de lanchonetes, sombreadores e praça com playground.

Para Simões, os moradores do Remanso, Telégrafo e Cobal só têm a ganhar: “O parque veio para mudar, trazer dias melhores. As pessoas vêm aqui andar, passear. Está bonito”.

Sebastião Paiva mora há 22 anos em uma rua bem em frente ao canal. “Antigamente aqui era horrível”, disse. Ele conta que, sempre que chovia, alagava até dentro de casa, e todas as casas tinham trapiches para que os moradores pudessem chegar até a rua. “Agora não alaga mais.”