Operação Saturação Máxima completa seis meses de atuação

Em média, 30 policiais militares fazem parte da operação (Foto: Arquivo Secom)
Em média, 30 policiais militares fazem parte da operação (Foto: Arquivo Secom)

A Operação Saturação Máxima da Polícia Militar completou em abril o primeiro semestre em atividade. Criada em novembro de 2014, a ação representa um acréscimo policial nas ruas de Rio Branco, impactando positivamente na sensação de segurança da sociedade.

Executada diariamente, a operação já cumpriu 33 mandados de prisão, conduziu 60 adultos e 14 adolescentes às delegacias competentes, apreendeu 59 quilos de entorpecentes, 20 armas brancas e de fogo, além da recuperação de vários objetos oriundos de furtos e roubos.

O comandante do Policiamento Operacional da Capital (CPO1), coronel Ullysses Araújo, considera a ação como um incentivo à tropa e destaca o comprometimento dos policiais para o bom desempenho do seu papel.

“Os policiais que participam da Saturação Máxima recebem um incentivo monetário extra em seus vencimentos, que classificamos como banco de horas. Vale salientar que a ação conta com mais de 30 policiais atuando em regiões definidas pela análise criminal sem prejuízo da escala normal dos batalhões.”

O sargento Lucivaldo Brandão, que trabalha no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp 190), relata outro fato peculiar da ação: “Quando a operação está nas ruas, o número de denúncias reduz, não há dúvidas de que isso é reflexo da boa atuação da Polícia Militar”.

O comando da corporação considera a Saturação Máxima de extrema importância para a redução dos índices criminais pela eficácia comprovada por meio dos números apresentados. A ação não tem prazo de encerramento, tendo em vista o caráter indispensável na prestação de serviço à comunidade.

Ação é executada diariamente nos bairros da capital (Foto: Arquivo Secom)
Ação é executada diariamente nos bairros da capital (Foto: Arquivo Secom)