Oficina discute legislação que trata de produção orgânica

A Associação de Certificação Sócio-Participativa da Amazônia (ACS Amazônia) realiza no dia 30 deste mês, às 8h30, na Escola da Floresta, uma oficina para discutir as mudanças que estão acontecendo na legislação brasileira que trata de produção orgânica e que está em fase de regulamentação. O evento é destinado a técnicos, produtores e educandos da Escola da Floresta.

A ACS Amazônia é uma organização não-governamental composta por técnicos de instituições como a Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Projeto Arboreto da Universidade Federal do Acre, Grupo de Pesquisa em Sistemas Agroflorestais do Acre (Pesacre), Escola da Floresta Roberval Cardoso e Superintendência Federal da Agricultura no Acre do Ministério da Agricultura, além da participação de agroextrativistas de várias comunidades do Acre, sul do Amazonas e noroeste de Rondônia.

Sendo a primeira certificadora sócio-participativa da Amazônia continental, criada em 2003, a ACS Amazônia tem como principal missão agregar valor à produção oriunda dos sistemas sustentáveis de cultivo agrícola e manejo florestal não-madeireiro, uma vez que permite ao consumidor a identificação e diferenciação de tal produto. Em 2007, a ACS Amazônia ganhou o prêmio Chico Mendes de Meio Ambiente, do Ministério do Meio Ambiente, na categoria Organização Não-Governamental.

Na oficina será feita uma abordagem histórica sobre o Programa de Certificação Participativa (PCP), desenvolvido pela ACS. Em seguida contará com um relato contextualizando os Sistemas Participativos de Garantia, segundo a legislação, ficando para o fim um espaço para reflexões e debates acerca da ACS e da legislação que trata de produção orgânica e se encontra em fase de regulamentação.