bom momento

No GovCast, comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Acre fala dos avanços da instituição

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Acre (CBM/AC), coronel Charles da Silva Santos, foi o entrevistado do GovCast na noite desta terça-feira, 29. O comandante destacou os avanços alcançados durante a gestão do atual governo e também falou sobre o trabalho desenvolvido pela corporação no estado.

Comandante-geral do CBM/AC destacou a importância da corporação para a sociedade acreana. Foto: Neto Lucena/ Secom

O comandante fez um retrospecto histórico desde a emancipação e separação do Corpo de Bombeiros, e destacou que a corporação tem recebido seus maiores investimentos nos últimos quatro anos. Somente em 2022 foram investidos cerca de R$ 9 milhões de reais em equipamentos e contratação de pessoal. Atualmente, existem 9 unidades operacionais do CBM/AC espalhadas pelo estado, e estão localizadas em Cruzeiro do Sul, Epitaciolândia, Sena Madureira, Tarauacá, Feijó, Xapuri, e três instaladas em regionais estratégicas de Rio Branco.

Falando ainda sobre os investimentos, o comandante-geral destacou que desde 2019  a corporação vem sendo estruturada ainda mais com a compra de um caminhão ABT (Auto Bomba Tanque), e materiais essenciais ao trabalho dos Bombeiros, como o desencarcerador hidráulico, equipamento que permite a retirada de vítimas presas em ferragens, e equipamentos de mergulho, com os quais o Estado auxilia os estados do Amazonas e Rondônia, e ainda os países vizinhos Bolívia e Peru.

As reformas das unidades operacionais de todo estado é outro importante avanço alcançado pelo CBM/AC. O  comandante anunciou que no ano de 2023 o governo construirá a unidade de Feijó, em um terreno cedido pela prefeitura do município.

Cel. Charles Santos falou sobre os investimentos do governo do Estado no CBM/AC. Foto: Neto Lucena/ Secom

Perguntado sobre a importância da entrada dos 240 novos alunos bombeiros,  o comandante ressaltou  que o efetivo será reforçado  para 670  homens. Atualmente o Corpo de Bombeiros atua em salvamentos, combate a incêndios urbanos e ambientais, mergulhos,  participa com 20% do efetivo do Gefron (Grupamento de Fronteira), atuando também no Ciopaer (Centro Integrado de Operações Aéreas), na Força Nacional, dentro do Tribunal de Justiça, no Gabinete Militar, nas escolas cívico militares em Rio Branco e Cruzeiro do Sul, na Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), dentre outros locais.

O cel. Charles comentou sobre a desativação temporária do serviço Bombeiro Mirim,  devido a grande demanda e a quantidade de efetivo. Destacou a importância do projeto e que chegou-se a ter um total de 1.400 crianças atuantes, o qual deve ser retomado em breve, tendo em vista ser necessário à população conhecimentos básicos de primeiros socorros e auto-controle, para se tentar salvar vítimas dos mais variados tipos de acidentes.

Sobre incêndios e afogamentos

Depois da pandemia, cel. Charles explica que foi estabelecida uma nova cultura para o acreano que passou a estar mais tempo em casa. Com isso, o número de ocorrências aumentou exponencialmente, devido ao grande número de incidentes, principalmente envolvendo crianças.

As variações de clima e a falta das revisões nas instalações elétricas permitem a sobrecarrega no sistema, quando conectados vários aparelhos em uma mesma tomada, podendo provocar incêndios. Ele  lembra que os acidentes domésticos são campeões em ocorrências. Este ano chegaram a ser atendidas cerca de 25 mil delas em todo o estado.

Santos relata, ainda, que, considerando que no interior o principal meio de transporte são as embarcações, o Corpo de Bombeiros do Acre atua efetivamente no resgate de vítimas  de afogamentos e recuperação de materiais, e destacou que no último ano conseguiram recuperar cerca de R$ 1,5 milhão de reais em  bens, como barcos e motores. Quanto ao trabalho das equipes de mergulho para o resgate de vítimas de afogamento, no ano passado o  número chegou a 25 árduas buscas.

Trabalho durante a pandemia

Sobre o trabalho do Corpo de Bombeiros  durante a pandemia, Charles explicou que a corporação não parou os atendimentos e adotou todos os cuidados necessários, estando sempre pronta para as operações.

Respondendo às perguntas dos internautas quanto à diferença das escolas militares para as escolas tradicionais, e sobre a política para ingresso naquelas, o cel. explicou que  são coordenadas 100% pelo Estado e pelo Corpo de Bombeiros, sendo que por meio do comando é feita a coordenação, disciplina, acompanhamento dos alunos, além das demais tarefas do dia a dia. E que devido à procura de vagas, são realizadas inscrições seguidas de sorteio e a realização de provas. “Graças a Deus as pessoas tem abraçado o projeto”, afirma.

O comandante agradeceu pela oportunidade e destacou a importância do GovCast para a sociedade acreana.

“Fico agradecido pelo espaço, de podermos trazer um pouco de conhecimento da nossa instituição. Parabéns por estarem levando a informação. Isso é um berço educacional para a nossa população”, ressaltou Charles Santos.