No Mês da Mulher

Nazareth Araújo leva bate papo sobre igualdade de gêneros à Embrapa

Como parte da programação do Mês da Mulher, a governadora em exercício Nazareth Araújo tem levado uma série de palestras e diálogos a instituições do estado sobre a força da mulher e a igualdade de gêneros. Na tarde desta segunda-feira, 19, foi a vez da governadora se reunir com servidoras da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Com uma apresentação intitulada “Os desafios da mulher protagonista do século XXI”, Nazareth Araújo falou que a luta da mulher é diária e o reconhecimento de suas causas não podem se dar apenas no Dia da Mulher.

Apresentação da governadora é intitulada “Os desafios da mulher protagonista do século XXI” (Foto: Val Fernandes/Secom)

Ela destacou dados como a taxa de feminicídio, que faz do Brasil, o quinto país no mundo que mais mata mulheres. E apontou que mesmo com 53% do eleitorado do país formado por mulheres, dos 513 deputados, apenas 51 são do sexo feminino. Sem falar na desigualdade econômica, com mulheres ganhando menos que homens na mesma função e com uma expectativa de 80 anos até essa diferença ser corrigida na sociedade.

“Eu digo sempre que o Dia da Mulher é uma data para ser rememorada. Agradeço o convite da Embrapa, aqui onde existe um acompanhamento das questões de raça e gênero, e a gente fica feliz de poder compartilhar dados e conhecimentos sobre a necessidade que temos de nos unirmos para uma sociedade mais igualitária”, conta a governadora.

Ao final, Nazareth Araújo passou uma mensagem da necessidade de sororidade, a união e aliança entre mulheres, baseado na empatia e companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum. Ela ainda apresentou ações do governo como o Mulher Cidadã, Saúde Itinerante e Quero Ler.

Analista da Embrapa, Elizabeth Lima fala da importância de momentos como esses em reconhecimento ao esforço de todas as mulheres.

“Para nós é uma honra ter uma mulher empoderada como a nossa governadora, que ministra e luta pela causa das mulheres com palestras reflexivas como essa. É um momento que paramos e temos um lucro, com reflexões necessárias”, ressalta Elizabeth.