encontro da suframa

Nazareth Araújo cobra ampliação da Zona Franca Verde durante Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Suframa

A vice-governadora do Acre Nazareth Araújo participou nesta quinta feira, 11, da 285ª Reunião Ordinária do  Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS), realizada em Porto Velho (RO). Na ocasião, Nazareth destacou os desafios logísticos na região amazônica e alertou para a importância da ampliação das Zonas Francas Verdes.

“Participamos de uma reunião junto ao governo do Amapá, ocasião em que construímos uma defesa de ampliação da Zona Franca Verde. Nossos Estados todos eram pra ser considerados zonas francas verdes, mas tenho apenas três municípios do Acre, dois com 0,23% e um com 0,36% do território, considerados Zona Franca Verde. Precisamos nos unir pelo desenvolvimento da Amazônia, que respeite as nossas condições e nos dê condições de escoamento, além da produção”, enfatizou.

A vice-governadora destacou, ainda, os investimentos do governo do Estado, na gestão do governador Tião Viana, sobretudo na área de produção.

“O governo do Acre promoveu, na gestão do governador Tião Viana, um massivo investimento nas áreas de produção na iniciativa privada, de uma forma organizada, com a produção sustentável, valorando as pessoas que moram dentro da Amazônia e fazem essa fronteira acontecer. A Amazônia representa 58% do território nacional, com mais de 12% da população brasileira, muitas vezes enfrentando situações de uma fronteira que nos desafia com o narcotráfico e dependendo de investimentos sérios da nação brasileira que, infelizmente, não passa de menos de 5% do PIB nacional. O Acre construiu mais de 5 mil açudes, com base na cooperação ou individuais, mediante participação em uma empresa, em uma parceria público-privada e comunitária, a fim de incentivar esses empreendimentos, tirando a pressão da floresta. E ainda, fazendo a garantia de segurança alimentar para a nossa população”, finalizou Nazareth.

(Foto: Layana Rios/Cedida)

Também presente ao evento, a prefeita de Rio Branco Socorro Neri, defendeu a inclusão da capital acreana na Zona Franca Verde. “Rio Branco tem os itens previstos na Zona Franca Verde e essa inclusão, daria um novo fôlego para nossas industrias da capital.” A prefeita cobrou, ainda, que a Suframa “seja, de fato, indutora do desenvolvimento de toda a Amazônia Legal e não apenas do Amazonas, como demonstram os projetos aprovados apenas para a Zona Franca de Manaus. E que os investimentos priorizem projetos com potencial de desenvolvimento econômico, mas socialmente referenciados e ambientalmente sustentáveis, considerando as peculiaridades e os custos de viver e empreender na Amazônia”, enfatizou.

O superintendente da Suframa, Appio Tolentino, destacou o trabalho desenvolvido pela entidade. “Temos procurado agir com muito trabalho e segurança jurídica, junto ao Ministério, na construção de uma instituição sólida, com transparência, ao longo desses dois últimos anos. A expectativa é de que sigamos perseverantes, em busca de uma SUFRAMA cada vez mais forte, para que tenhamos em todos os Estados da Amazônia Ocidental e no Amapá maior dinamismo econômico, usufruindo dos benefícios sociais com a preservação ambiental tão desejada”, concluiu.

Projetos

Durante o encontro, 12 projetos industriais e de serviços foram aprovados. O maior investimento anunciado foi o da empresa TPV do Brasil Indústria de Eletrônicos Ltda, para produção de placas de circuito impresso montadas. O projeto da empresa apresentou investimento total de US$ 26.9 milhões e mão de obra adicional de 32 empregos.

Outros destaques foram os projetos das empresas Procomp Amazônia Indústria Eletrônica Ltda, direcionado à produção de máquina de autoatendimento bancário com reciclador de cédulas (papel-moeda), com investimento total de US$ 26.1 milhões e mão de obra adicional de 62 empregos; e Flextronics International Tecnologia Ltda, voltado à produção de televisores em cores com tela de cristal líquido, com investimento total de US$ 18.6 milhões e mão de obra adicional de 88 empregos.

Os projetos aprovados das empresas Elsys Equipamentos Eletrônicos Ltda, para produção de controle remoto para condicionador de ar com mais de um corpo, tipo split system; da Samsung Eletrônica da Amazônia Ltda, para fabricação de painéis publicitários de utilidade pública, próprio para apresentação de vídeos e imagens em matrizes de diodos emissores de luz (LED); e da Technos Amazônia Indústria e Comércio Ltda, que está investindo em um novo ramo de atividade com a produção de artefatos de joalheria, trazem itens que ainda não eram produzidos na Zona Franca de Manaus, ampliando o leque de produtos do PIM.