Mulher Cidadã levará atendimentos a comunidade do Rio Jurupari

Serviços levam cidadania e qualidade de vida as pessoas que residem na zona rural do Acre (Foto: Val Fernandes/Secom)
Serviços levam cidadania e qualidade de vida as pessoas que residem na zona rural do Acre (Foto: Val Fernandes/Secom)

O projeto Mulher Cidadã chega a sua 15ª edição. Dessa vez os atendimentos serão levados à comunidade do Rio Jurupari, zona rural de Feijó. A ação será realizada nos dias 18 e 19 e pretende beneficiar cerca de 700 pessoas.

Implementado pelo governo do Estado, por meio do gabinete da vice-governadora Nazareth Araújo, o Mulher Cidadã tem entre seus parceiros: as  Secretarias de Saúde, de Políticas para Mulheres, Pequenos Negócios, Educação e Esporte, Fazenda,  Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Departamento Estadual de Saneamento e Pavimentação (Depasa), além da Defensoria Pública.

Entre as propostas está levar cidadania e qualidade de vida para as pessoas que residem na zona rural do Acre, ampliando o acesso aos serviços básicos de saúde, além de incentivar o empreendedorismo local e a valorização da mulher.

Alguns dos atendimentos que serão disponibilizados

Parceiros se reúnem para decidir sobre os atendimentos que serão disponibilizados (Foto: Val Fernandes/Secom)
Parceiros se reúnem para decidir sobre os atendimentos que serão disponibilizados (Foto: Val Fernandes/Secom)

Para decidir sobre os serviços que serão disponibilizados na próxima semana, uma reunião foi realizada na tarde de quinta-feira, 10, no gabinete da Vice-Governadoria com representantes de todos os órgãos parceiros da iniciativa.

Na ocasião ficou decidido que o programa Saúde Itinerante levará médicos das especialidades de ginecologia, pediatria, clínica médica. Exames de ultrassonografia, Preventivo do Câncer do Colo do Útero (PCCU) e laboratoriais – Bioquímicos, Hematológicos, Sorológicos, Imunológicos, Hormonais, Urinálise serão ofertados.

A Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SEPMulheres) realizará atendimento psicossocial, com orientações sobre violência doméstica.

Rodas de conversa sobre gravidez na adolescência serão realizadas pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE). A Defensoria Pública levará atendimento e orientação jurídica ao cidadão em conjunto com análise de abertura de processos.