Mudanças no processo de trabalho na saúde é tema de oficina

Secretários de Saúde, Prefeito Angelim e gestores municipais discutem novos procedimentos em busca da redução da mortalidade infantil no Acre

 

oficina_saude_foto_gleilson_miranda_270410_05.jpg

Secretário de Saúde, Osvaldo Leal, explica que objetivo da oficina é mexer no processo de trabalho das unidades (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

oficina_saude_foto_gleilson_miranda_270410_03.jpg

Gestores de saúde de diversos municípios participaram da oficina (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

oficina_saude_foto_gleilson_miranda_270410_06.jpg

Prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim, participou da abertura da oficina (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Modificar o processo de trabalho nas unidades públicas de saúde é o objetivo da primeira oficina ampliada para implementação do Plano de Qualificação da Maternidade Bárbara Heliodora e Rede Perinatal. Na manhã desta quarta-feira estiveram reunidos os secretários de saúde do Estado, Osvaldo Leal, e de Rio Branco, Pascal Khalil, o prefeito Raimundo Angelim, a consultora do Ministério da Saúde, Vera de Oliveira, os profissionais de saúde da capital, Cruzeiro do Sul, Brasileia e Tarauacá para participar da oficina.

O encontro tem duração de dois dias e se propõe a debater as diretrizes e os indicadores do Plano de Qualificação da Maternidade. Dentre os temas que fazem parte da discussão estão o acolhimento em rede, classificação de risco e ambiência, direito a acompanhante, a valorização do profissional de saúde e a construção coletiva da gestão das unidades.

“Esperamos obter dois resultados, o de melhorar os resultados relativos à mortalidade infantil e o fortalecimento da rede”, destacou a consultora do Ministério da Saúde. A maternidade Bárbara Heliodora faz parte do grupo de 80 maternidades da Amazônia Legal e região Nordeste definido para as ações prioritárias de investimentos em reformas e ampliação da rede, implementação das diretrizes, como o processo de modificação do processo de trabalho.

De acordo com o prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim, o pacto entre o Governo do Estado e prefeitura já tem garantida a ampliação da rede de atenção básica, com novos equipamentos, mas é preciso mudar os métodos de trabalho. “Precisamos humanizar esta relação com paciente. As pessoas que procuram o sistema de saúde precisam de atenção especial por já estarem fragilizadas. O acolhimento eficaz faz a diferença”, disse o prefeito.

A redução da mortalidade infantil faz parte do projeto de melhoria da atenção básica à saúde da mulher e da criança. Segundo o secretário Osvaldo Leal a oficina traz representantes de municípios considerados prioritários como Rio Branco, Tarauacá, Cruzeiro do Sul e Brasileia, e o objetivo é mexer no processo de trabalho destas unidades, e influenciar toda a assistência ao parto, desde o pré-natal nas unidade públicas. “Este encontro oferece as condições necessárias para os profissionais intervirem no processo de trabalho, melhorarem a qualidade no atendimento. O Acre vem trabalhando neste movimento de redução da mortalidade infantil, e o grande objetivo é melhorar o indicador que mostra a eficiência do atendimento desde o pré-natal até o parto”.