Mostra em Milão revela o design acreano em látex e madeira

Legenda adfasdasdfsad
A Escola Politécnica de Milão e o Istituto Europeo di Design apresentaram interesse em fazer parcerias com o governo acreano (Foto: divulgação)

Pela segunda vez consecutiva, o Acre está representado no Espaço Brazil S/A, que iniciou no dia 8 e vai até 13 de abril, no Palazzo dei Giureconsulti, em Milão, na Itália. Este ano, dois produtos estão sendo apresentados em uma grande exposição intitulada “25 anos: Chico Mendes vive mais” e são resultados das parcerias do governo acreano com a Escola Politécnica de Milão – Poli.Design, o Instituto Europeo di Design (IED), a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), a Federação das Indústrias do Acre (Fieac), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

A exposição acreana mostra o resultado dos projetos Acre Design e Acre Látex Design Lab, iniciados a partir da missão empresarial do governo acreano que esteve na Itália, em abril de 2012. Naquela ocasião, além da participação no Fuora Saloni e da exposição no Espaço Brasil S/A, foram realizadas visitas técnicas e institucionais, que resultaram em acordos de cooperação entre o Acre e os institutos italianos.

O primeiro projeto, em parceria com o Poli.Desing, possibilitou a formação no curso de design de móveis de 35 profissionais acreanos, entre estudantes de arquitetura, artistas e marceneiros. Foram nove meses de formação e o resultado desse trabalho foi a elaboração de dez linhas de móveis, luminárias e objetos de decoração contemporâneos, inspiradas no cotidiano dos moradores da floresta.

O segundo projeto, desenvolvido com o apoio do IED, possibilitou a formação de artesãos e artesãs que trabalham com o látex da seringa. Dois deles, José Rodrigues de Araújo, o “Doutor da Borracha”, e Leonora Maia, coordenadora do Grupo de Mulheres da Reserva Extrativista Cazumbá/Iracema, participam da exposição apresentando a linha de sapatos de seringa.

“Meu pai foi criado com o leite de seringa, eu estou criando meus filhos, e hoje é uma fonte de renda carro-chefe, o artesanato da borracha”, conta o “Doutor da Borracha”.

Para a arquiteta Marlúcia Cândida das Neves, primeira-dama do Acre, as exposições têm como objetivo apresentar os produtos confeccionados no estado, dentro de uma concepção de design que atenda às exigências do mercado consumidor, além, é claro, de proporcionar a prospecção de mercado para a comercialização dos produtos.

“A grande expectativa é mostrar para o mundo que o nosso sapato de seringa é valoroso. É um sapato confortável, bonito, e a gente quer vê-lo atravessando fronteiras com qualidade. Por isso chamamos o Istituto Europeo di Design para nos ajudar a aprimorá-lo e encontrar mercado. O mesmo objetivo temos para os móveis desenvolvidos a partir do curso de design, realizado em parceria com o Poli.Design. Temos uma riqueza florestal que vem sendo explorada com base no manejo e na certificação florestal e queremos revelar isso ao mundo”, afirma.

Embaixador do Brasil em Milão abre exposição

O cônsul-geral do Brasil em Milão, embaixador Renan Paes Barreto, e a embaixatriz Lívia Barreto visitaram a exposição do Acre no Espaço Brasil S/A. Juntamente com a primeira-dama, Arquiteta Marlúcia Cândida, eles realizaram a abertura oficial do evento.

Para o embaixador, o trabalho apresentado pelo governo acreano mostra o compromisso do Estado com o desenvolvimento sustentável, a valorização da cultura e o crescimento econômico dos povos da floresta.

Novas parcerias

A exposição deste ano em Milão, a exemplo de 2012, já rende novas parcerias. Tanto a Escola Politécnica de Milão, como o Instituto Europeo di Design apresentaram interesse em firmar novas parcerias com o governo acreano.

A ideia é ampliar a oferta de vagas para formação e treinamento de estudantes e profissionais que atuam no setor de design no Acre. “Será um trabalho feito junto às marcenarias, para que possam aprimorar o processo industrial. Com relação ao látex, vamos trabalhar em busca de um resultado cada vez melhor para os sapatos de seringa. Em ambos os casos, sempre visando à geração de renda para os pequenos e grandes empresários, com um design consciente do ponto de vista ambiental e social”, explica Marlúcia Cândida.

Além dos institutos italianos, outros grupos de empresários têm participado de reuniões com a comitiva acreana e mostrado desejo de investir no estado.

“Conseguimos aqui nos reunir com empresários que têm interesse de levar para o Acre uma melhor tecnologia de construção de casa em madeira, inclusive para o Programa Minha Casa Minha Vida”, finaliza Marlúcia.