Morador da Cidade do Povo diz que mora no pedacinho do céu

Família de Adalberto foi a segunda contemplada com uma casa na Cidade do Povo (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Família de Adalberto foi a segunda contemplada com uma casa na Cidade do Povo (Foto: Diego Gurgel/Secom)

“Se existe o céu, moro no pedacinho dele”, é assim que o marceneiro Adalberto Gomes define sua nova moradia na Cidade do Povo. No mês de maio completa um ano que as  primeiras 392 famílias passaram morar no maior conjunto habitacional do Acre.

A família de Adalberto foi a segunda contemplada com uma das residências da Cidade do Povo e relata sua alegria em dividir a casa de dois quartos com a esposa, sete filhos e um neto.

“Demorei muito para acreditar que esta casa era nossa. Sofríamos muito com as alagações. Perdemos as contas dos prejuízos financeiros. Na década de 80 passamos dez meses no Parque de Exposição”, relatou Adalberto Gomes.

A amabilidade da família é conhecida por todos os moradores da quadra 18. Eles, por sua vez, garantem que o último ano foi um dos melhores e mais feliz de suas vidas. “Em nossa casa somos felizes pela oportunidade de termos uma moradia digna, limpa e de qualidade”.

A segurança é um ponto elogiado. Segundo eles, vivem em paz. Relatam que antes conviviam com usuários de drogas diariamente. Hoje a realidade é diferente. A polícia passa constantemente em sua rua e nenhuma ocorrência de violência foi registrada no período de um ano.

Pais de filhos adolescentes, o casal revela que eles estão felizes pela proximidade das escolas de ensino fundamental e médio de sua casa. “Antes não dormíamos enquanto nossos filhos não chegavam da escola. Vivíamos doentes. Neste tempo que estamos aqui ninguém adoeceu. Isso representa melhoria da qualidade de vida”, afirma Raimunda Rocha.