Formação de professores

Mais de 2.600 educadores participam de formação unificada em Rio Branco

Durante essa semana, a rotina da professora Izaneide Santos que trabalha a cerca de 30 quilômetros de Rio Branco, na Escola Bom Jardim, no Ramal da Aroeira foi diferente. A educadora que vem à capital apenas nos finais de semana, estendeu a estadia para participar da Formação Unificada oferecida aos professores da rede pública estadual pela Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (SEE).

“Complementa o nosso trabalho. Nós ficamos lá dentro, na mata, sem acesso à internet, e aí formação sempre traz novidades e põe a gente a par das inovações do ensino”, conta.

As formações ocorreram em diversos locais da cidade de Rio Branco Foto: Mardilson Gomes

A capacitação, que ocorreu entre os dias 29 e 31, reuniu cerca de 1.600 professores regentes, além de mais de 1 mil profissionais da educação especial de Rio Branco, distribuídos em 60 turmas, em seis espaços diferentes. Durante a formação, os educadores tiveram a oportunidade de abordar questões referentes a nova grade da Base Nacional Comum Curricular, diversas metodologias educacionais e orientações acerca do novo sistema de trabalho em rede, adotado pela secretaria.

“A formação é um princípio fundamental profissional do professor.  Nós fizemos todo um processo de inscrições em que cada professor da zona urbana de Rio Branco pôde escolher os turnos, os locais, as turmas e até algumas temáticas formativas de acordo com a série e disciplina que ele atua”, explica o chefe do departamento de Educação Básica, Manoel de Jesus.

Toda a metodologia usada durante a formação foi dentro de dinâmicas e metodologias ativas, o que fortalece a preparação dos professores para atuarem de maneira inovadora nas salas de aula para acompanhar este momento de mudanças curriculares.Ao todo, mais de 2600 educadores de Rio Branco receberam o curso de formação Foto: Stalin Melo

Além disso, os professores da Educação Especial receberam um curso de formação continuada específico que abordou temas relacionados às adaptações que são necessárias para o aluno com deficiência e a legislação que trata da inclusão.

Para a professora Verusk Maria Santos, que atua há 9 anos como professora da sala de atendimento educacional especializado, o curso é uma oportunidade de aprimorar o trabalho desenvolvido na escola.

“As formações são de grande valia exatamente por isso, por nos preparar cada vez mais. Sempre que a gente vem, sempre encontramos alguma novidade e isso acrescenta, adiciona no trabalho da gente. Muitas vezes a gente se depara com situações faladas aqui e é uma ajuda”, pondera a professora.

Segundo a diretora de Ensino Denise Santos, os professores das demais regionais de estado também receberam o curso de formação Foto: Mardilson Gomes

De acordo com a diretora de Ensino Denise Santos, julho foi um mês de desafios para a secretaria de Educação. Os professores das outras regionais do estado também receberam cursos de formação continuada.

“O nosso cuidado foi para que a gente conseguisse, em tempo hábil, passar todas as informações necessárias para que as equipes gestoras também conseguissem ter o seu momento com os professores. Tudo muito planejado com muito carinho, com cada detalhe pensado para que a gente consiga ter um segundo semestre da melhor maneira”, detalha Santos.

Para o professor de Língua Portuguesa Henrique Nunes, que trabalha na escola Raimunda Pará, na Cidade do Povo a iniciativa influencia diretamente na qualidade da educação oferecida aos estudantes. “Nos ajuda a sermos mais criativos para ajudarmos aos alunos da melhor forma possível, integrá-los ao ambiente da escola da maneira mais humana para que lá fora eles consigam encontrar a profissão almejada”.