edital

Leilões online do Detran atraem compradores de outros estados

Com a classificação do Acre em bandeira amarela para o risco Covid-19 e a possibilidade de ampliação do número de atendimentos diários nas unidades do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a autarquia resolveu retomar os leilões. Muito aguardados pela população, este ano eles passaram a ocorrer de maneira online.

Depósito de veículos apreendidos em Cruzeiro do Sul. Foto: Eduardo Gomes/Detran

Até agora já foram realizadas edições do certame em Senador Guiomard, Brasileia e Assis Brasil. Os veículos foram disputados por pessoas do Acre e até de estados próximos, como Rondônia e Amazonas. Os próximos ocorrem nos dias 20 e 22 de julho em Cruzeiro do Sul e Mâncio Lima, respectivamente, com a disponibilização de pelo menos 220 veículos para arremate.

“Em razão da crise sanitária que vivenciamos, montamos novas estratégias para os leilões. As empresas credenciadas reuniram fotografias e o máximo de informações sobre os veículos em suas plataformas. O cidadão que estiver em Rio Branco, por exemplo, pode arrematar um bem no leilão de Xapuri sem ter que estar presente de maneira física”, lembrou Taynara Martins, presidente do Detran.

Participação

Participar dos leilões do Detran se tornou ainda mais fácil. O interessado em ofertar pré-lances deve ler os editais publicados antes da realização das vendas, observar condições de retirada e visitação dos bens.

Também é preciso se cadastrar nas plataformas das empresas leiloeiras, que este ano são duas: Sá Leilões (www.saleiloes.com.br) e Lote Leilões (www.loteleiloes.com.br).

Há carros e motocicletas disponíveis para arremate Foto: Eduardo Gomes/Detran

Nos sites estão disponibilizados os discriminativos, bem como as fotografias de cada bem colocado à venda por maior lance. É preciso verificar se os veículos têm ou não condições de circulação, se é necessário providenciar reparos antes da retirada e os débitos que por ventura ainda possam constar.

O arrematante precisa estar atento para o recolhimento de outras taxas advindas da aquisição. Para cada lote arrematado, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) recolhe 17% do valor venal referente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Além disso, a empresa leiloeira deve receber 5% sobre a venda. Tudo deve ser pago antes da retirada dos veículos dos depósitos do Detran.