diagnóstico

Lacen começa a produzir exames de Covid-19, mas pontos de coletas permanecem na UPA e Pronto-Socorro

Unidade fará trabalho igual ao que já faz o Laboratório Rodolphe Mérieux; UPA do Segundo Distrito e PS continuam sendo referência para as pessoas que farão os testes

O Laboratório Central de Saúde Pública do Acre, o Lacen-AC, já começou a produzir os exames do tipo RT-PCR, os mesmos já realizados pelos profissionais do Laboratório Rodolphe Mérieux – que funciona no Centro de Infectologia Charles Mérieux, em Rio Branco – para o diagnóstico de Covid-19.

Lacen já começou a produzir os exames do tipo RT-PCR, os mesmos já realizados pelos profissionais do Laboratório Rodolphe Mérieux Foto: Odair Leal/Secom.

“O Lacen não será mais um ponto de coleta, nem para testes rápidos, nem para a coleta de amostras de testes para PCR da população, mas sim, mais uma unidade a realizar os exames que estarão chegando das unidades de referência do interior, e também de Rio Branco”, explica Janaína Mazaro, gerente-técnica do Lacen-AC.

Desse modo, o fluxo para coleta continua sendo o de antes, realizado por meio de unidades de referência dos municípios, e, em Rio Branco, na UPA do Segundo Distrito e no Pronto-Socorro de Rio Branco.
Os exames de PCR são feitos com técnicas apuradas de laboratório que permitem a quebra de material genético trazido das unidades de saúde que são referências para Covid-19, manipulando as amostras de mucosa da narina do paciente, que vão atestar se ele está infectado pelo novo coronavírus.

UPA do Segundo Distrito e PS continuam sendo pontos de coleta para pacientes com suspeita de Covid-19 Foto: Odair Leal/Secom

Neste final de semana, 48 coletas, a maioria dos municípios de Senador Guiomard e Brasileia, foram as primeiras a serem analisadas pelos profissionais do Lacen-AC. O laboratório irá aumentar, gradativamente, o número de diagnósticos conforme novos investimentos em automação.

As amostras estão chegando desses municípios desde a última sexta-feira, 15, e também serão ali analisadas as das cidades de Epitaciolândia, Assis Brasil, Xapuri e Acrelândia.

No Mérieux, uma máquina robô adquirida pela Sesacre já auxilia na rapidez do processamento de amostras que são enviadas. Mas no Lacen-AC, justamente por serem exames de alta complexidade, a etapa de “extração de RNA”, como é chamado o processo do diagnóstico, ainda será feita de forma manual.