Em Capixaba

Laboratório Pró-Água atesta ausência de agrotóxicos no igarapé São João

A água do Igarapé São João, manancial de onde é captada a água, que depois de tratada é distribuída aos moradores do município de Capixaba, está livre da contaminação de agrotóxicos. É o que atesta o laudo das análises realizadas pelo laboratório Pró-Água, de São Paulo.

A análise para detectar a possível presença de substâncias encontradas nos agrotóxicos foi realizada pelo governo do Acre, por meio do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa), com o objetivo de tranquilizar a população quanto à possibilidade de contaminação do manancial por agrotóxicos que estariam sendo usados na região.

Laudo comprova que água do Igarapé São João está livre de agrotóxicos. Foto: Clemerson Ribeiro/Depasa

Após coleta da água no manancial, as análises foram processadas em laboratório localizado na cidade de Franca, em São Paulo, um dos poucos do Brasil com a certificação exigida para realizar esse tipo exame. “Todos os dias trabalhamos para levar água tratada em quantidade suficiente e com boa qualidade aos usuários do Depasa. Ao tomar conhecimento do anseio da população de Capixaba pela certificação da qualidade da água do manancial que abastece a ETA de Capixaba, não medimos esforço em viabilizar os meios para atender, e com apoio do governador Gladson Cameli, hoje podemos dar essa boa notícia à população”, enfatiza a diretora-presidente do Depasa, Waleska Bezerra.

Gestores e servidores do Depasa de Capixaba também comemoram a emissão do documento que avalia os parâmetros da água captada no município. “Era uma reivindicação antiga da população. Uma preocupação nossa desde que assumimos da gestão dessa unidade. E pra nós é uma satisfação, hoje poder das uma resposta positiva à população, reforça a bióloga, Mariana Jerônimo, gerente do Depasa em Capixaba.

Controle de qualidade

Com o objetivo de manter a distribuição de água tratada dentro dos padrões recomendados, o governo do Acre, por meio do Depasa, coleta e analisa amostras da água nas unidades de produção e rede de distribuição.

Os testes verificam nível de pH (que identifica se a água é ácida, neutra ou alcalina), turbidez (que reflete o grau de transparência), cor aparente (que mede o grau de coloração), cloro residual (utilizado no processo de desinfecção, que tem a função de eliminar agentes patogênicos causadores de doenças, tais como microrganismos), além dos parâmetros microbiológicos que avaliam a presença de coliformes totais e fecais, que indicam a existência de bactérias nocivas ou não no processo final de tratamento.

Controle da qualidade da água é feito a partir da análise de amostras coletadas nas estações de tratamento e rede de distribuição. Foto: Clemerson Ribeiro/Depasa

Nos municípios do interior as amostras são coletadas semanalmente, de segunda a quinta-feira, e depois levadas para análise no laboratório da capital, Rio Branco. O trabalho realizado pelas equipes do laboratório Rio Branco  faz o controle da qualidade da água do Depasa nos municípios de Senador Guiomard, Capixaba, Bujari, Mâncio Lima, Tarauacá e Feijó.

No Alto Acre, o monitoramento da qualidade da água de Assis Brasil, Brasileia e Xapuri é feito pelo laboratório do Depasa em Epitaciolândia.

Já no Vale do Juruá, o controle da qualidade da água dos municípios da região é realizado pelo  laboratório de Cruzeiro do Sul.  “O laboratório busca seguir a portaria de consolidação Nº 5, do Ministério da Saúde, com o objetivo de manter sempre os parâmetros desejados para fornecer à população uma água com qualidade”, destaca a chefe do Laboratório de Controle da Qualidade da Água do Depasa, Adriana Evangelista.