IDM forma 19 técnicos em suporte e manutenção de computadores

Novos técnicos estão habilitados a atuar em qualquer lugar do país (Foto: Onofre Brito)
Novos técnicos estão habilitados a atuar em qualquer lugar do país (Foto: Onofre Brito)

O Instituto Dom Moacyr realizou na última sexta-feira, 10, a formatura do Curso Técnico em Suporte e Manutenção de Informática em Cruzeiro do Sul. Com duração de dois anos, foi o primeiro curso técnico a ser realizado na cidade via Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). A diretora-presidente do IDM, Rita Paro, esteve presente ao ato e disse que os 19 jovens formados adquiriram formação técnica que os habilita a atuar em qualquer lugar do estado e do país.

Cristian da Costa: “Apareceu a oportunidade e eu caí dentro” (Foto: Onofre Brito)
Cristian da Costa: “Apareceu a oportunidade e eu caí dentro” (Foto: Onofre Brito)

“Isto é fruto de um governo que tem responsabilidade com seu povo”, comentou a gestora. Ela informa que, por meio do Pronatec, mais de 75 mil pessoas no estado já receberam formações em áreas técnicas ou em cursos de curta duração nos últimos anos.

O IDM está presente hoje nos 22 municípios acreanos, e por isso a agenda de certificações é intensa. Na semana passada foram certificadas 320 pessoas em Sena Madureira, Manoel Urbano e Tarauacá. Nesta semana haverá certificações no Baixo e Alto Acre. No fim do mês serão certificados 2.300 jovens no Curso de Operador de Telemarketing, todos habilitados a trabalhar no Call Center de Rio Branco.

A universitária Maria Luana fez o curso porque gosta da área e para aumentar sua potencialidade profissional (Foto: Onofre Brito)
A universitária Maria Luana fez o curso porque gosta da área e para aumentar sua potencialidade profissional (Foto: Onofre Brito)

O formando Cristian Ribeiro da Costa diz que já tinha interesse na área de informática, por isso decidiu fazer o curso. “Apareceu a oportunidade e eu caí dentro”, disse. Ele conta que os estudantes ficaram aptos a fazer suporte e manutenção de computadores e redes. “Eu já era bom, mas melhorei.”

A estudante universitária Maria Luana da Silva Araújo (Letras-Português na Universidade Federal do Acre) explica que fez o curso por uma questão pessoal, por gostar do assunto e também por motivo profissional, para melhorar suas oportunidades no mercado de trabalho.